Sertanejo in concert

Cristiane Bomfim

22 de julho de 2011 | 23h37

Por Cristiane Bomfim

Dupla com Fernando Meirelles

Um concerto sertanejo com cara de documentário produzido pela O2 Filmes, do premiado diretor Fernando Meirelles. A escolha da Sala São Paulo, um dos mais modernos e bem equipados teatros de concerto do mundo. O acompanhamento de músicos regidos pelo maestro João Carlos Martins. Convidados como Caetano Veloso no palco. E não poderia ser de outra forma. Chitãozinho e Xororó pensaram em cada detalhe da gravação do terceiro DVD em comemoração aos 40 anos de carreira, que ocorre em 1.º de agosto.

Com currículo cheio de sucessos cinematográficos como Cidade de Deus (2002) e Ensaio Sobre a Cegueira (2008), esta é a primeira vez que a O2 Filmes produz um DVD musical. “Queríamos uma empresa que tivesse a dimensão do nosso projeto e por isso escolhemos a O2 Filmes. Fiquei muito feliz quando eles aceitaram participar da ideia”, conta Xororó.

No DVD, que deve ficar pronto em dezembro, as músicas apresentadas na Sala São Paulo serão intercaladas com imagens de bastidores e cenas do cotidiano da dupla gravados pela produtora entre junho e 21 de agosto, data do show no Rodeio de Barretos. O vídeo também terá pequenas ‘pílulas’ com depoimentos de familiares e pessoas que acompanharam de perto os 40 anos de carreira.

“Esse é o terceiro DVD de uma trilogia. Tem uma aura de celebração muito solene. Estamos trabalhando para que seja um concerto elegante. No show não teremos telões, mesmo porque o teatro e a orquestra não pedem isso”, explica Cássio Amarante, que vai dirigir o DVD Chitãozinho e Xororó 40 anos Sinfônico, que encerra a festividade. A direção de produção será de Fernando Meirelles e Adriano Goldman assume a direção de fotografia.

Na Sala São Paulo, a O2 Filmes vai utilizar 12 câmeras simultaneamente. “Teremos vários fotógrafos trabalhando ao mesmo tempo para dar um ritmo dinâmico às filmagens sem precisarmos fazer cortes. Queremos fugir da imagem de clipe”, explica Amarante. A escolha do local foi proposital e tem mais a ver com o início da carreira de Chitãozinho e Xororó do que com o requinte.

“Antes de ser a Sala São Paulo, o local era só uma estação de trem (Júlio Prestes) e foi por ela que chegamos a São Paulo para tentar a carreira. Na época, não tínhamos o sonho de ser artista. E voltar aqui 40 anos depois e saber que a música sertaneja chegou onde chegou é muito emocionante”, diz Xororó.

“Não é coincidência ou sorte Chitãozinho e Xororó gravarem um show nesse teatro tão importante. Eles são do tamanho do Brasil e da Sala São Paulo”, completa Amarante. Em 40 anos de estrada, a dupla mais importante do País já gravou 31 álbuns inéditos, vendeu 35 milhões de discos e fez mais de 6 mil shows.

Amarante diz que o projeto chegou quase pronto ao escritório da O2, em São Paulo e encantou toda a equipe. Os preparativos ocorrem desde janeiro e envolve ao todo 25 pessoas. Os ensaios para a gravação começaram na última quinta-feira.

Ao contrário dos dois primeiros álbuns comemorativos – Chitãozinho e Xororó 40 anos Nova Geração e Chitãozinho e Xororó 40 Anos Entre Amigos –, o Sinfônico não terá participação de sertanejos. O convite foi feito por telefone ou pessoalmente. Caetano Veloso cantará Céu de Santo Amaro. Jair Rodrigues interpretará A Majestade o Sabiá. “Nunca gravamos essa música em um álbum nosso, e é um grande hit em parceria com o Jair”, diz Xororó.

Também subirão no palco ao lado da dupla Djavan, Alexandre Pires e Maria Gadú. Fafá de Belém cantará Nuvem de Lágrimas e Fábio Júnior, Fogão de Lenha. Sandy e Júnior, filhos de Xororó, terão participação no DVD. “Essa parte será surpresa. Não sei como será.” Ao fundo, a Orquestra Filarmônica Bachiana Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins.

Matéria publicada hoje (22) no Caderno 2 + Música do Estadão

Tendências: