Fernando e Sorocaba lotam Credicard Hall

Cristiane Bomfim

21 de maio de 2012 | 02h23

Por Cristiane Bomfim

Depois de um intervalo de quase quatro anos, Fernando e Sorocaba voltaram, neste último fim de semana, a se apresentar na mais famosa casa de espetáculos de São Paulo: o Credicard Hall, na zona sul. A primeira apresentação no local ocorreu em novembro de 2008 durante o lançamento do álbum Bala de Prata, que fez a dupla estourar.

Com repertório suficiente para um show longo sem precisar apelar para canções famosas de outros artistas e, de quebra, fazer o público cantar em coro, eles lotaram a casa nos dois dias.

O show de ontem, 20, começou e terminou com É tenso, a penúltima música de trabalho dos cantores. Foram quase duas horas de apresentação em que sequências de músicas animadas eram intercaladas com românticas. Fizeram parte do repertório Celebridade, A casa caiu, Pega eu, Férias em Salvador, Everest, Tô passando mal, Delegada e a mais nova música romântica A verdade. Boa parte das músicas escolhidas faz parte do CD e DVD acústico gravados em outubro do ano passado na Ópera do Arame, cartão postal de Curitiba, no Paraná.

A dupla não precisou criar um mega cenário para chamar a atenção. A interação com o público (que é característica) foi o ponto forte do show. Na metade do espetáculo Sorocaba “desapareceu” do palco para ir parar no meio do público no que ele chamou de “tele transporte”. Depois de cantar duas músicas gravadas por Luan Santana (Um beijo e Você não sabe o que é amor) retornou na bolha, bem conhecida dos fãs da dupla, para o lado de Fernando.

Diferentemente dos shows da maioria dos artistas sertanejos, a apresentação não teve o momento ‘modas de viola’ ou as canções clássicas do estilo, como Boate azul. Mas, em compensação, teve sim alguns minutos dedicados ao axé com refrãos já batidos, como “sou guerreiro, sou praieiro, tô solteiro“. A receita é repetida pela maioria das duplas universitárias e parece que o público não enjoou.   E teve ainda a participação de Thaeme e Thiago que cantaram 365 dias, Tchá, tchá, tchá e Perdeu.

“É um orgulho muito grande tocar no Credicard Hall. A casa é muito respeitada, com palco incrível, iluminação também, o som é muito bom”, confessou Sorocaba ao JT depois da apresentação de ontem. Perguntados sobre a demora para voltar à  casa, Fernando respondeu que: “nosso show é bem para cima e aqui tem vários lugares que as pessoas ficam sentadas, então nós ficávamos um pouco receosos em fazer show para pessoas sentadas. Não sabíamos como seria a reação. Foi um desafio e deu muito certo. Essa era a hora”, disse.

A dupla comentou ainda a lotação da casa, apesar de terem se apresentado na semana passada no rodeio de Carapicuíba, na região metropolitana. “São Paulo tem muito público. E é um público que frequenta locais diferentes. Nem sempre o povo da periferia vem em para cá (Credicard Hall). E o povo que frequenta aqui não vai para a periferia. Só na grande São Paulo são cerca de 20 milhões de pessoas. Estados como  o Mato Grosso do Sul inteiro tem 4 ou 5 milhões de habitantes”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.