Pai e filho formam dupla e buscam sucesso

Cristiane Bomfim

11 de agosto de 2011 | 17h31

Por Cristiane Bomfim

Divulgação

Yago prefere o sertanejo clássico, as modas de viola. Juliano gosta mais das letras e ritmo animados do sertanejo universitário. Juliano tem 23 anos e Yago, 20 anos a mais. Estas diferenças, por muitas vezes, fizeram com que pai e filho adiassem até 2005 a formação da dupla, coisa que parecia óbvia para familiares e amigos.

“Quando meu pai propôs a dupla, fiquei meio assustado. Eu estava terminado o colegial e ficava pensando no que os meus amigos iriam achar”, confessa Juliano que cresceu ouvindo o pai tocar e se interessou – de verdade – em música aos 14 anos. Hoje, ele acredita que o fato de serem pai e filho ajuda na divulgação da dupla e dá mais credibilidade ao trabalho. “As pessoas sabem que não vai acabar da noite para o dia por causa de uma briga qualquer”, conta.

A primeira vez que tocaram juntos foi em Guarulhos, na Grande São Paulo, cidade onde vivem. Juliano chamou os amigos para assistir e “eles gostaram muito”, lembra. Com dois CDs gravados (o primeiro em 2006), pai e filho estão divulgando a nova música de trabalho Se deu mal, que tem pegada de sertanejo universitário, o hit segue mais o gosto de Juliano.

“Eu acabo deixando essas coisas na mão dele (Juliano). Ele é muito responsável e quando escolhe as músicas para colocar no show, sempre dá certo”, assume o pai, que também tem um espacinho para apresentar suas versões de clássicos sertanejos como Evidências e Chico Mineiro. “Quem não gosta dessas canções? Temos que agradar todo o público e ir dosando”.

Yago nasceu no Paraná. Sobrevive só da música há 23 anos e é isso que planeja para o futuro de Juliano. “Ele tem o dom de cantar”, diz. Desde que concluiu o ensino médio, o garoto só se dedica à música. Não pensa em cursar ensino superior. Não se vê fazendo outra coisa que não seja cantar e quase não tem tempo para programas como cinema e balada. “Ih, faz tempo que eu não saio pra uma balada e volto com o dia amanhecendo”, confessa Juliano.

Pai também dos gêmeos Carolina e Leonardo, de 12 anos, Yago diz não se preocupar com uma faculdade para o filho mais velho. “Juliano é o único que tem esse talento. A música é um dom de Deus e para isso não é preciso estudo. Acho que não vai atrapalhar a carreira dele.”

Por enquanto, Yago e Juliano não tem show marcado para o próximo domingo, Dia dos Pais. E o único presente que Yago poderia pedir é que a carreira do filho ao seu lado seja de sucesso. No site da dupla, é possível ouvir mais canções: www.yagoejuliano.com.br

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: