Hugo Pena se emociona em show solo

Cristiane Bomfim

22 de setembro de 2011 | 23h50

Por Cristiane Bomfim

O lançamento oficial da carreira solo do sertanejo Hugo Pena teve gostinho de primeira vez com direito a frio na barriga e choro. Depois de quatro meses separado de Gabriel ­- com quem fazia dupla –, o cantor decidiu retornar aos palcos de maneira “despretensiosa”, como ele prefere dizer. Escolheu uma casa noturna sertaneja em São Paulo com capacidade para 900 pessoas. Na plateia estavam amigos, artistas e fãs.

O show, marcado para as 23h de ontem, 21, teve a participação de Fernando e Sorocaba e do cantor Bruno, da dupla Bruno e Marrone. Hugo Pena subiu no palco da Wood’s, na Vila Olímpia, na zona sul de São Paulo, pouco depois da 1h. Iniciou com a animada Tô nem aí. Visivelmente nervoso e emocionado, o cantor buscava com os olhos o sorriso de apoio dos amigos enquanto meninas de um fã clube gritavam aos seus pés. A romântica Ponto de equilíbrio, a primeira música de trabalho do artista que agora canta sozinho, veio na sequência.

Com 27 músicas, o repertório de Hugo Pena misturou sucessos da antiga dupla – como Robin Hood da paixão, Mala pronta e Estrela –, canções inéditas, clássicos sertanejos e baladas universitárias como Ai se eu te pego.

Bruno foi convidado a subir no palco para cantar Te amo e não te quero e Telefone mudo. No bate-papo, Hugo Pena elogiou a voz do amigo e fez a proposta: “Você não quer fazer uma dupla comigo, não?”. Em tom de brincadeira Bruno respondeu que se Marrone não voltar a cantar, ele aceitará o convite. Marrone está afastado temporariamente da dupla por causa de problemas psicológicos.


Fernando e Sorocaba cantaram junto com Hugo Pena, que teve de secar as lágrimas com as mãos,  A casa caiu, Parece castigo, Até o final e o modão Saudades de minha terra.

Antes da apresentação Hugo Pena disse à imprensa que o reinício não está sendo fácil e descartou a possibilidade de reatar a dupla com Gabriel:

Qual é a sensação de subir no palco sozinho?
É como se fosse a primeira vez. É incrível uma pessoa que já enfrentou todo tipo de público dizer isso, mas eu to bastante ansioso. E é gostoso ter essa sensação de friozinho na barriga novamente. Já faz quatro meses que aconteceu do fim da dupla, mas é sempre bom estar de volta. Faz falta ter alguém para dividir o palco, parece que ele fica maior.

Como foram os quatro meses até chegar no lançamento oficial da carreira solo e do novo trabalho?
Primeiro passei aquele período de transição, de recomeço. Eu não esperava que adupla fosse terminar. Então esse período foi mais de adaptação e serviu para rever a equipe para poder trabalhar. Tive muita sorte que a banda ficou toda comigo, isso foi meio caminho andado para minha musica e para o nosso som. E culminou nessa grande festa.

Quantas músicas terão o show?
Vou apresentar as músicas que fizeram sucesso na época da dupla e alguns lançamentos das músicas que farão parte do novo DVD que irei gravar no final do ano, mas ainda não sei ao certo em qual cidade será.

Como é recomeçar a carreira?
É bem difícil. Não vou participar da parte administrativa, eu tenho profissionais que trabalham comigo agora. Não tenho empresário porque estou meio traumatizado de empresário. Mas tenho uma equipe com uma historia muito bacana dentro da música e se Deus quiser vai ser tanto sucesso quanto foi na época da dupla

Existe alguma chance de você voltar a cantar com o Gabriel?
Eu acho bem difícil porque o fim da dupla foi bastante traumático para mim e par minha família, mas não posso dizer que eu não possa perdoar. A gente tem coração mole, então é difícil dizer, mas seria bem complicado.

Vocês não se falam mais?
Perdemos o contato. Eu procurei o Gabriel para conversar depois dos acontecimentos, mas ele não me atendeu e disse que só conversaria comigo na presença do empresário. Então não deu para conversarmos.

O pivô da briga foi mesmo o empresário?
Foi. Eu tinha problemas com ele. Eram problemas de administração e o Gabriel tomou o partido do empresário. Eu estava procurando o bem da dupla e de todos, mas infelizmente não deu. Em respeito ao próprio Gabriel não tenho a intenção de colocar ninguém cantando comigo. Eu devo muito ao Gabriel o que eu sou hoje, ele me ajudou muito nessa caminhada.

Quem perdeu mais com a separação da dupla, você, o Gabriel ou os fãs?
Todo mundo perdeu um pouco. Posso medir as minhas perdas. Eu tenho que começar de novo. Tudo o que a gente investiu, que a gente sonhou como dupla, o que a gente passou na estrada e de repente terminar de uma forma tão triste. Eu perdi muito com isso, demorei para me recuperar. Só eu sei o que passei nesse período. Mas agora é bola pra frente e se tem que ser assim, então vamos seguir na carreira solo e tem tudo para dar certo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: