Eduardo Costa grava DVD só de românticas em São Paulo

Cristiane Bomfim

11 Maio 2013 | 17h15

POR CRISTIANE BOMFIM
(cristiane@gmail.com)

Rosa Marcondes

“A música romântica mexe muito mais comigo do que qualquer outro tipo de música”. Foi com esse argumento que Eduardo Costa explicou a escolha repertório do terceiro DVD da carreira, gravado nos dias 7 e 8 na capital paulista. São 20 canções, sendo cinco de autoria do cantor (“Anjo Protetor” e “Louco Coração” são duas delas). As apresentações aconteceram na casa noturna Brook’s, na zona sul. E, no segundo dia, tiveram a participação de Cristiano Araújo e a dupla Di Paullo e Paulino, que também são da Talismã Produções.

Não foi uma super produção. O show teve formato acústico com cenário simples e elegante – com iluminação caprichada – assinado por Zé Carratu. Para o cantor, responsável pela direção musical do projeto paralelo que deve receber o nome “No Buteco”, as canções eram a prioridade. Eduardo Costa mostrou o que gosta de cantar em casa, em rodas de viola, em festas, com os amigos. Estava à vontade, embora a casa não estivesse cheia no primeiro dia: um erro da casa, segundo o próprio cantor, já que ingressos não foram colocados à venda.

Começou com “Seu Amor Ainda é Tudo”, sucesso nas vozes de João Mineiro e Marciano. Deu um gole na cachaça. Brincou com o público e emendou com “Faz de Conta”, “Eu Menti”. Com Cristiano Araújo cantou “Sem Céu e Sem Chão”. O dono do sucesso “Bara Berê” se disse surpreso com o convite. “É um cara que quando eu cantava em barzinho eu ouvia muito a música dele e ia nos shows”. Já Eduardo Costa disse que sempre quis gravar a canção para se homenagear. “É uma homenagem a mim mesmo e também combina com o Cristiano”, brincou.

[galeria id=6598]

Di Paullo e Paulino interpretaram “Tô indo embora”, que já foi gravada por eles anos atrás. “Era um sonho meu gravar com eles. Achei que ia realizar esse sonho no DVD deles. Mas eles cancelaram DVD e acabou sobrando para eu chamá-los para participar do meu. Aí eu não aguentei e chamei”, disse Eduardo. A gentileza foi retribuída pela dupla que começou cantando em circos no início da década de 1970. “É uma emoção diferente porque o Eduardo nos trouxe uma energia especial. Chegamos a gravar juntos quando ele lançou seu primeiro CD e na época ele se declarou nosso fã e nós nos apaixonamos por ele devido ao sentimento e ao jeito único dele cantar, à interpretação diferenciada”, disse Paulino.

“Agenda Rabiscada”, “Minha Metade”, do grupo de pagode Só Pra Contrariar, e “Fogão de Lenha” foram cantadas em coro pelo público. A última foi dedicada às mães e filhos. “Hoje as pessoas estão se desapegando e nosso País está cada vez mais violento. A família está ficando em segundo plano. A intenção é sempre fazer com que as pessoas valorizem essa coisa de família, de mãe, pai, amigo, tio”, desabafou.

A previsão é que o trabalho dirigido por Anselmo Trancoso seja lançado até o final de junho pela gravadora Sony Music.