Domingo tem moda de viola no Sesc Ipiranga

Cristiane Bomfim

17 de junho de 2011 | 23h01

Por Cristiane Bomfim

Divulgação

Para o bem ou para o mal, o sertanejo que toca hoje nas rádios e lota casas de espetáculos é resultado da modernização da música caipira eternizada por nomes como Zico e Zeca e Tião Carreiro e Pardinho, entre tantas outras duplas música raiz.

Numa cidade como São Paulo, em que Fernando e Sorocaba, Jorge e Mateus e  Luan Santana parecem terem se tornado as principais referências atuais para este estilo musical, há ainda espaço para duplas que não perderam a identidade caipira. Exemplo disso é a dupla Carreiro e Pardinho Filho que se apresenta no domingo (19) no Sesc Ipiranga. O repertório será um apanhadão de sucessos caipiras. Ou seja, voz, viola e violão.

“Vamos tocar muitas músicas de Tião carreiro e Pardinho e nossas também”, afirma Pardinho Filho ou Carlos Henrique de Lima, de 43 anos. Filho do cantor Pardinho, ele montou a dupla com Carreiro há cerca de dez anos. Nesse período gravou dois CDs para “resgatar a raiz”, explica. Seu parceiro, o Carreiro, fez sucesso ao lado de Carreirinho por anos.

“Cruzei com os dois em um show em Osasco (na região metropolitana) e o Carreirinho já estava muito doente e disse que quando morresse queria que eu fizesse dupla com Carreiro. Me senti muito honrado”, confessa. Ao contrário dos cantores do pop sertanejo, quem prefere a moda de viola não consegue viver de música. E foi isso que Pardinho ensinou a Carlos Henrique desde pequeno.

“Se dependesse do meu pai, eu não seria músico. Ele sofreu muito para fazer sucesso porque naquela época ser cantor era sinônimo de ser vagabundo”. Por isso, Carlos Henrique se formou advogado, mas depois virou o Pardinho Filho. Junto com Carreiro, ele faz dez shows por mês.

Serviço

O show será domingo (19), às 12h na área de convivência do Sesc Ipiranga. A entrada é gratuita. O Sesc Ipiranga fica na Rua Bom Pastor, 822. O telefone é 3340-2000.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.