Chico Rey e Paraná completam 30 anos com biografia

Cristiane Bomfim

15 Junho 2011 | 22h11

Por Cristiane Bomfim

O primeiro disco de Chico Rey e Paraná foi gravado em 1981, mas o sucesso só veio em 1988 com a música Quem será seu outro amor. Era o quinto álbum gravado pela dupla paranaense. Agora, para comemorar os 30 anos de carreira, 21 discos gravados e um DVD, os irmãos lançam uma biografia. São 228 páginas escritas pelo radialista e compositor Clayton Aguiar.

“Os dois têm uma história de luta. Eles saíram do interior sem dinheiro e construíram uma carreira sólida e de sucesso. São boas referências num mundo que hoje ensina que não vale a pena trabalhar. Eles mostram que trabalhar e sonhar é possível. Por isso, e para comemorar as três décadas de sucesso, decidi escrever o livro”, explica o autor, que também foi o primeiro empresário dos cantores.

A passagem mais triste da história de Chico Rey e Paraná ocorreu quando eles tinham 6 e 4 anos, respectivamente. “Os pais deles foram levar a irmã mais nova ao médico de charrete. Ela tinha uns 15 dias de vida. No meio do caminho, o couro que prendia a carroça no cavalo se rompeu. E dona Aparecida (a mãe dos cantores) levou um susto tão grande que teve um surto psicótico e passou a ter a idade mental de uma criança de 5 ou 6 anos de idade”, conta Aguiar.

A partir dessa data os irmãos nascidos em Arapongas, no interior do Paraná, tiveram que assumir a responsabilidade de cuidar da casa e da mãe, enquanto o pai trabalhava. “Mas também tem muita história curiosa e engraçada no livro”, diz o radialista e amigo da dupla.

Quando começou a cantar, a dupla usava o nome Devanil e Denival. “Conheci eles com esse nome num programa de auditório em Brasília (no Distrito Federal). Eles sempre cantaram lindamente. Depois de alguns anos, reencontrei os dois num show e eles me convidaram para empresariar a carreira deles. A primeira coisa que fiz foi trocar o nome”, diz.

Aguiar cuidou dos negócios da dupla até meados da década de 1980, quando lançou seu primeiro álbum e fazer shows. Foi aí que o empresário escolheu cuidar da própria carreira. “Mas continuamos muito amigos”, justifica.

Depois do estouro em 1988, a dupla continuou cantando no interior do País, mas perdeu a visibilidade na capital. “Eles nunca pagaram para tocar numa rádio”, afirma Aguiar. Em 2006, gravaram Alma transparente com o cantor Leonardo. A música foi uma das mais pedidas nas rádios de São Paulo e desde então, os irmãos mantém média de 100 shows por ano.

Outra música que é um sucesso:

Serviço:
A biografia de Chico Rey e Paraná começa quando eles não tinham nome artístico e eram conhecidos só pelo nome de batismo:  Francisco Aparecido de Jesus e José Cláudio Gomes. O livro está sendo vendido no site da dupla (www.chicoreyeparana.com.br) por R$ 40.