Apesar da dúvida sobre próxima música de trabalho, César Menotti e Fabiano já pensam em novo CD

Cristiane Bomfim

03 de junho de 2013 | 10h01

POR CRISTIANE BOMFIM
(cristiane@gmail.com)

Divulgação

Em agosto de 2012, Cesar Menotti e Fabiano tiveram a ousadia de gravar um DVD no Rio de Janeiro. Escolheram como cenário um cartão postal da cidade: o Morro da Urca. Convidaram Jorge e Mateus, Preta Gil, Santorine e o grupo de pagode Sorriso Maroto para fazer parte da festa. O trabalho deu tão certo que os irmãos têm hoje em São Paulo duas músicas do álbum “Ao Vivo no Morro da Urca” tocando simultaneamente nas rádios. Escolhida pela dupla para ser a primeira faixa de trabalho “Dois Corações”, com participação de Jorge e Mateus, divide espaço com “Não Era Eu”, escolhida por radialistas e público.

“A segunda música de trabalho deveria ser ‘Não Era Eu’. Mas essa história está nos surpreendendo e agora vamos ter que pensar em outra música para trabalhar daqui umas semanas. Quando uma rádio escolhe a música por conta, temos mais é que agradecer”, contou Fabiano ao blog. Na lista de favoritas estão “Tomou de Assalto”, com Sorriso Maroto, e “Amor em Dobro”, com Preta Gil.

No início de maio, após uma apresentação no Villa Mix, na zona sul de São Paulo, a dupla contou sobre a diferença entre fazer shows na capital e em outras cidades do Brasil. “O público de São Paulo recebe muita informação. Todo dia chega uma música nova, uma dupla nova tocando em rádio e investindo pesado. Você tem que brigar para ficar no meio”, disse Fabiano que ao lado do irmão Cesar Menotti se projetou nacionalmente em 2005 graças a hits como “Leilão”, “Anjo” e “Palavras de Amor”.

Mas quanto ao surgimento de tantos novos nomes no estilo sertanejo, a dupla se diz tranquila. “Acreditamos que tudo passa. Quem tem consistência, quem tem raiz, quem tem verdade vai ficar, mas demanda de um trabalho dobrado”, afirmou, mais uma vez, Fabiano. Quando o assunto é trabalho, a dupla diz que já prepara o repertório para um novo CD e diz que sonha ainda em lançar até o fim de 2013 um CD só com música raiz.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.