20 anos nas páginas do jornal

Cristiane Bomfim

01 de setembro de 2011 | 09h00

 Por Cristiane Bomfim

Em 1998, Zezé di Camargo e Luciano reuniram 100 mil pessoas em um show no Parque do Carmo, na zona leste de São Paulo. Era o segundo maior público para o local.

Zezé di Camargo e Luciano já devem ter perdido a conta de quantas entrevistas já deram nestes 20 anos de carreira. Também é improvável que eles saibam quantas vezes responderam perguntas como: “vocês imaginavam que chegariam ao sucesso?”, “qual a maior loucura que uma fã já fez por vocês?”, “qual o show mais emocionante que vocês já fizeram?”.

Em uma pesquisa rápida no banco de dados eletrônico da redação do Grupo Estado – onde são produzidos todos os dias o Estadão e o Jornal da Tarde – encontrei 1.943 citações da dupla em notas e matérias publicadas desde 1998. Nestes 13 anos, seus nomes apareceram nada menos que doze vezes por mês nestes jornais.

A primeira é de 20 de abril de 1998 e saiu na página C4 do Estadão com o título: Dupla Sertaneja atrai 100 mil a parque. O texto foi escrito pelo repórter Marcos Pereira. Leia na íntegra (você também pode clicar na imagem para ampliar):

Dupla Sertaneja atrai 100 mil a parque
Zezé di Camargo e Luciano fizeram segundo maior show do Parque do Carmo

Por Marcos Pereira

Cerca de 100 mil pessoas foram ontem ao Parque do Carmo, na zona leste,  assistir ao show da dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano. Segundo o inspetor Carlos Augusto Padilha Veiga, que comandou o policiamento da Guarda Civil Metropolitana, o espetáculo foi o segundo maior já realizado no local. O recorde pertence a Xuxa, que levou 150 mil espectadores ao parque.

O show começou por volta das 13 horas, mas pela manhã o público já marcava  presença. Quando os músicos entraram no palco, a multidão gritava em coro o  nome dos artistas. Sob forte calor, adolescentes, crianças e adultos, encostados às grades de proteção, imploravam aos seguranças para conhecer a dupla.

A interatividade entre os músicos e o público impressionava. A música Cada Volta É um Recomeço foi a mais acompanhada pela multidão.

“Venho a todos os shows, mas hoje cheguei às 9 horas, porque sou superfã da dupla”, afirmava a estudante Damiana Pereira Barbosa, de 15 anos. Ela e sua amiga, Sandréa Ferreira, não se preocupavam com o forte calor que fazia no momento do show. Sandréa disse que faria qualquer sacríficio para escutar as músicas ao vivo. “Não me importo com o sol, quero vê-los.”

Até as 14 horas, o ambulatório havia registrado mais de 150 ocorrências, na maioria dos casos desmaios ou mal-estar. Lazer para alguns e trabalho para outros. Camisetas, coletes, chapéus e bijuterias estavam à disposição do público. A venda de objetos relacionados diretamente ao show era o melhor negócio. O segurança Manoel Alves Vieira, de 38 anos, vendia fotos autografadas de Zezé di Camargo e Luciano. Cada uma custava R$ 1,00. Até as 13 horas, ele já havia vendido mais de 80.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: