Editor do blog LENS, do NY Times, vem ao Brasil

Editor do blog LENS, do NY Times, vem ao Brasil

Mônica Zarattini

28 de abril de 2015 | 10h02

James Estrin, editor de um dos maiores blogs de fotografia do mundo, o “LENS”, do The New York Times, fala um pouco sobre seu trabalho e sua vinda ao Brasil para participar do 8º FestFoto em Porto Alegre entre os dias 12 e 16 de maio.

James

Fotografia de Robert Caplin

 Ele pode ser considerado o exemplo de jornalista contemporâneo. Fotografia, vídeo, áudio e escrita são todos parte de seu repertório diário. E todos esses ingredientes estão muito bem misturados no blog de fotografia por ele comandado desde maio de 2009.

James fez parte da equipe do NYT que ganhou o prêmio Pulitzer em 2001 com a série  “How Race is Lived in America” . Foi o primeiro fotojornalista que documentou um suicídio assistido em Oregon em 2004. Além disso, esteve presente em muitos conflitos entre palestinos e israelenses e também narrou e fotografou a difícil viagens dos mexicanos que entram ilegalmente nos EUA. Além do trabalho diário no blog, James é docente na City University of New York Graduate School of Journalism e no prestigiado  ICP (International Center of Photography).

De olho na foto: O blog LENS é muito mais que um blog só de fotojornalismo. Nele vemos diferentes tipos de imagens além das noticiosas: features, portraits, vídeos, e fotografia contemporânea. No seu processo de edição há uma quantidade reservada ao fotojornalismo além das “fotos do dia”? Ou não ?

James Estrin: Todas as manhãs, às 3:00 de Nova York, nós publicamos um post que explora profundamente um fotógrafo e o seu trabalho. Esses posts são o coração da LENS e são editados pelo meu co-editor David Gonzales, nosso produtor Whitney Richardson e por mim… Nós exploramos muitas facetas da fotografia em nossos posts matutinos.

 

De olho na foto:  Como é o processo de escolha das narrativas publicadas no blog ? Qual a margem de aproveitamento das histórias que recebem?

James Estrin: Nós encontramos trabalhos por muitas fontes diferentes. Eu vejo por volta de 75 a 100 submissões [de histórias] de fotógrafos por semana. Somando a isso, muitos amigos, editores, editores de livros, curadores e fotógrafos fazem sugestões. Também procuramos trabalhos em redes sociais, na internet, e através de serviços e agências. Além disso, muitas vezes eu encontro trabalhos em portifólios e festivais de fotografias. Publicamos menos de 5 por cento dos trabalhos enviados para nós, mas nós vemos tudo que nos é enviado. Nunca se sabe quando, ou onde, se encontrará um trabalho excelente.

 

De olho na foto: Você foi um dos ganhadores do Pulitzer Prize in 2001. Escrever sobre o prêmio recebido por Daniel Berehulak este ano sobre a crise do Ebola na África teve um sabor especial?

James Estrin: Eu era um, entre muitas pessoas envolvidas na corrida do NY Times pelo Pulitzer com a série da “América”. Daniel ganhou o seu Pulitzer por ele mesmo. Seu trabalho sobre o Ebola foi poderoso e ajudou a trazer a crise para a atenção do mundo.

 

De olho na foto:  Como você vê a fotografia latino-americana e em especial a brasileira? Recebe muitas sugestões de ensaios brasileiros para publicação no LENS?

James Estrin: Nós publicamos muitos trabalhos da América Latina na LENS. Eu acho que parte da fotografia mais interessante atualmente está sendo feita na região. O Brasil, em particular, é um foco de trabalhos fascinantes e temos trabalhado com muito fotógrafos brasileiros. Fora dos Estados Unidos, o Brasil é uma das maiores audiências da LENS. Meu colega David Gonzales, o co-editor da LENS, já fez muitas reportagens direto da América Central, o Caribe e a América do Sul durante os últimos 30 anos.

 

De olho na foto: Você já participou de algum festival de fotografia no Brasil ? Qual sua expectativa ?

James Estrin: Eu fico muito triste em dizer que eu nunca estive no Brasil, mas estou ansioso para chegar. Tenho muitos amigos brasileiros e amo a comida, a música e a cultura brasileiras. O que devo esperar, então? Excelente fotografia e uma ótima estadia.

 

AS FOTOS DO ATOR DENNIS HOPPER 

James22

O post de capa do dia 27 de abril é sobre as fotografias feitas por Dennis Hopper. LENS nos conta que o ator de “Apocalypse Now”, além de poeta, pintor e galerista,  também teve ilustre trajetória pelas lentes de sua câmera fotográfica. Ele pediu a filha Marin Hopper, 52 anos, que  mostrasse sua fotografia, deixasse sua marca no mundo não só como ator e diretor. Parte das fotografias mostradas no blog são do livro de Hopper chamado “Drugstore América” feitas entre 1969/1973.

Ver: http://lens.blogs.nytimes.com/2015/04/27/dennis-hoppers-drug-store-camera-photos/

A ÉTICA NO FOTOJORNALISMO

James11

James chama para o debate acerca da fotografia documental depois do episódio onde alguns fotógrafos foram eliminados do último World Press Photo: defensores da ética jornalística X praticantes de novas estratégias visuais. Temos o depoimento  de Azu Nwagbogu, jurado do Prêmio World Press Photo 2015 e diretor da Fundação dos Artistas Africanos e do Lagos Foto Festival. Segundo Nwagbogu,  hoje todas pessoas possuem celulares que tomam fotos em todos os lugares e ao mesmo tempo. A notícia não é tão principal e sim a história de como é contada essa notícia, suas nuances, camadas, intrigas e os principais fatores que necessitam de um melhor entendimento.

Ver: http://migre.me/pDWTX

TÃO LONGE, TÃO PERTO – A FOTOGRAFIA NO LIMITE DA FOTOGRAFIA

Esse é o tema da oitava edição do FestFoto de Porto Alegre em 2015. Todas as outras edições tiveram temas específicos. Grandes nomes da fotografia brasileira e internacional foram homenageados pelo festival: em 2007 a convidada especial foi a fotógrafa suíça Martine Frank, da Agência Magnum e presidente da Fundação Henri Cartier-Bresson; em 2008, fotógrafa Claudia Andujar com seu trabalho sobre os  os índios Ianomami; em 2009, com o tema Humanismo e Realidade, o homenageado foi o fotógrafo Luis Humberto; em 2010 Tomas Fakas foi o escolhido;  em 2011, o fotógrafo gaúcho Luiz Carlos teve exposição retrospectiva e um livro abrangendo todas fases da sua carreira; em 2012, nossa querida mestra Nair Benedicto foi homenageada e o trabalho de sua geração e a criação das agências independentes foram destacados; em 2013/2014, a sétima edição explorou o tema Preto e Branco com a exposição Gêneses de Sebastião Salgado e os protestos de junho pelas lentes do Mídia Ninja e a homenagem veio para nosso querido Ricardo Chaves, o Cadão.

Ver: http://festfoto.art.br/hist%C3%B3rico.html

jamess33

E em 2015,  o conselho curador  do  8º FestFoto – Leo Caobelli (Coletivo Garapa), Fernando Schmitt, Danilo Christidis e Carlos Carvalho –  continua  trazendo muita gente boa nessa edição. Nas palestras, James Estrin e Pedro Meyer vão partir de suas respectivas obras pessoais para depois dar uma visão mais ampla da fotografia contemporânea, cada um na sua especialidade.   Outros fotógrafos internacionais trarão suas experiências e pensamentos. Além de James e Pedro teremos também Angela Ferreira tratando da Fotografia Portuguesa Contemporânea, Wendy Watriss, do  FotoFest/Houston explanando sobre a Fotografia no Mercado de Arte.  Além das palestras, todos eles estarão lendo portifólios  engrossando o staff com Fred Baldwin dos EUA,
Co-fundador e CEO da FotoFest / Houston, Elda Harrington dos Encuentros Abiertos de Buenos Aires, Veronica Cordeiro  do CDF, Uruguai, Juan Travnik, diretor da FotoGalería do Teatro San Martín, entre outros.

Desde sua primeira edição, o FestFoto revela talentos e abre espaço para autores que fazem experimentos na linguagem fotográfica. Uma das principais iniciativas é o “Fotograma Livre”, programa que seleciona 20 autores a partir de uma convocatória aberta, e exibe apenas trabalhos em formato de projeção digital.

O intercâmbio e a janela para novos autores também são o objetivo do programa “Diálogos Internacionais”. Com curadoria do próprio Carlos Carvalho, reúne trabalhos garimpados em exibições e leituras de portifólio realizados em festivais e eventos internacionais em que participa. Um dos destaques que serão exibidos este ano é o trabalho “Anonymity of Power”, do argentino Alejandro Almaraz. O fotógrafo sobrepõe retratos oficiais de presidentes ou chefes de estado que se sucederam no poder ao longo de muitos anos em países como Brasil, Estados Unidos, China, África do Sul, Coreia do Norte e União Soviética. O resultado são retratos irreconhecíveis, formados por camadas de rostos que revelam a continuidade da autoridade e de sua representação e deixam como resíduo um símbolo do exercício do poder. Publico abaixo algumas fotos da série.

“Em sua oitava edição, o FestFoto aposta naqueles nomes que estão pesquisando a imagem em todas as suas dimensões dentro do território da fotografia. Não são nomes consagrados ainda mas que estão abrindo caminhos diferentes e que vão se encontrar no infinito da arte contemporânea”, diz Carlos.

Líderes da União Soviética de 1917 a 1991

Líderes da União Soviética de 1917 a 1991

 

Líderes da Coréia do Norte

Líderes da Coréia do Norte

 

Presidentes do Brasil durante a República, desde 1889

Presidentes do Brasil durante a República, desde 1889

 

Presidentes da África do Sul durante o regime do Apartheid - 1961/1994

Presidentes da África do Sul durante o regime do Apartheid – 1961/1994

 

us presidents_50x60cm

Presidentes dos EUA

 

 

Veja a programação completa do  8º FestFoto  no site:

http://festfoto.art.br/2015/?lang=pt

Abertura: 12 de maio de 2015 – 19:00 hs
Local: MARGS (Museu de Arte do Rio Grande do Sul) Praça da Alfândega, s/n – Centro, Porto Alegre – RS Tel: (51) 3227-2311

Inauguração das Projeções do FestFoto 2015
Hall de entrada do CCEV
Fotografia Brasileira Contemporânea
Diálogos Internacionais

Fotograma Livre

Projeção de Festivais de Fotografia:
Encuentros Abiertos de Buenos Aires – Fotografia Argentina Contemporânea
Festival de Fotografia de Tiradentes

Dia 13 de maio – quarta-feira

18:30 às 19:30 – Palestra – Encontros com o autor
Ana Lira (Recife)
Gustavo Diehl (RS)
Mediador: Carlos Carvalho

20:00 às 21:30 – Mesa – Processo, pesquisa e produção em fotografia
Coletivo Garapa
Eduardo Veras (RS)
Marco Antonio Filho (RS)
Mediador: Fernando Schmitt

Dia 14 de maio – quinta-feira

18:30 – 19:30 – Mesa de debates
Pensamento e Crítica: Interfaces na Fotografia Brasileira Contemporânea
Lívia Aquino e Ronaldo Entler
Mediador – Fernando Schmitt

20:00 às 21:30 – Mesa de debates
O território da curadoria na fotografia contemporânea
Francisco Mata Rosas – Museo Cuatro Caminos – México
Eder Chiodetto – Museu de Arte Moderna/SP
Mediador: Carlos Carvalho

Dia 15 de maio – sexta-feira

18:00 às 19:00 – Fórum Internacional de Livros de Fotografia
Fotolivro e Livro de Artista
José Diniz (RJ)
Letícia Lampert (RJ)
Lançamento do BEIRA – Coletivo Editorial
Mediador: Leo Caobelli (Coletivo Garapa)

19:15 às 20:30 – Fórum Internacional de Livros de Fotografia
Editoras e Projetos de Instituições
Luis Delgado (São Francisco) – Editora Malulu (Via Skype)
Diego Vidart – Projeto CMIK – CDF de Montevideo (Uruguai)
Iatã Cannabrava – Livraria Madalena
Mediador – Carlos Carvalho (FestFoto)

20:30 – Lançamento de livros e noite de autógrafos coletiva
Ana Lira – Voto!
Cristiano Sant’Anna – Arquipélago
José Diniz – Periscópio
Iatã Cannabrava – Pagode Russo
Fernanda Chemale – Desordem

Dia 16 de maio – sábado

14:30 às 15:30  – Palestra
Ângela Ferreira – Fotografia Portuguesa Contemporânea

16:00 às 17:00 – Palestra – Encontros com o Autor
James Estrin – Editor do Blog Lens/NYT
Mediador: Carlos Carvalho

17:30 às 18:30 – Palestra
A Fotografia no Mercado de Arte
Wendy Watriss – FotoFest/Houston
Mediador: Carlos Carvalho

19:00 às 20:30 – Palestra – Encontros com o Autor
Pedro Meyer (México)
Mediador: Fernando Schmitt

 

 

 

 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

CarlosCarvalhoEstrinFestFotoJamesNYT

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: