Vai para o trono (de ferro) ou não vai?

Vai para o trono (de ferro) ou não vai?

Marcelo Rubens Paiva

29 de abril de 2019 | 11h50

Ontem, muitos pararam para assistir ao episódio decisivo de Game of Thrones (não o último).

Hoje, a repercussão domina sites e redes sociais.

Todas as oito temporadas da série da HBO, que estreou em 2011, convergiam para a batalha final, Great Battel of Winterfell, o Dia D da série. O tão anunciado inverno enfim chegara

Foram exatos e estonteantes exaustantes 82 minutos de tensão, perseguições e mortes.

Rolou até um dogfight, ou melhor, dragonfight, sobre o céu do castelo de Winterfell: quando dois aviões de caça perseguem um inimigo, cena tão comum sobre o Canal da Mancha durante a Segunda Guerra.

Alô. Spoiler abaixo.

Foi daquelas batalhas em que a correlação de forças era como na de Termópilas, em Esparta.

Tudo parecia perdido. Não tinha jeito, pois o inimigo, em maior número, ainda era capaz de ressuscitar o aliado, transformado em inimigo.

Mas não era dia do reino desabar. “Not today.”

O combate começou de forma equivocada, segundo minha opinião civil. Avançou a cavalaria antes da ação aérea e bombardeamento da artilharia. Não aprenderam com Alexandre o Grande: cavalaria defende os flancos e entra quando o inimigo está enfraquecido. Aguardo a crítica do meu colega especialista Roberto Godoy. Ele viu?

Muito herói morreu. Muitos se sacrificaram. A maioria sobreviveu.

Deu tempo para sarcasmo de Tyrion (Peter Dinklage), que até levou uma repreendida da princesa Sansa por fazer piada numa hora imprópria. Esse povo do norte não tem humor…

Como se não bastasse, ele a pede em casamento. De novo. Foi piada, menina…

Os roteiristas David Benioff e D.B. Weiss tiveram o cuidado de, no épico episódio, mostrar toda infinidade de personagens da série, um por um, sobreviventes na oitava temporada. Ninguém ficou de fora, dos protagonistas aos secundários.

Tem gente dizendo que a cena decisiva, em que morre o Rei da Noite, é cópia de Guerra nas Estrelas. Lembra, sim. Lembra também filmes de zumbis, especialmente o ataque a Jerusalém em World War Z.

Nada do casal protagonista de telenovela, Daenerys e Jon, titia e sobrinho, salvarem seus súditos. Ao contrário, sobrevivem graças ao talento e esforços da prodigiosa e incansável Arya. Que guerreira…

A juventude, a mulher, salva a humanidade.

Agora, vão atrás da rainha doida, Cersei, em Porto Real, que traíra não se juntou à luta.

Quem se sentará no Trono de Ferro? Tenho um palpite.

PS. Repararam na abertura da nova temporada? Toda a história está contada nela. Repare até aonde vão os quadradinhos brancos e o que segue.

Tendências: