Uber x Táxi

Uber x Táxi

Marcelo Rubens Paiva

08 Julho 2015 | 12h07

Um serviço de rede bomba quando há carência dele- ou quando o que existe não atende exigências de um consumidor conectado.

Assim como o Facebook destronou o Orkut, e o Google o Yahoo, o Uber surgiu quando o serviço de táxi convencional não conseguiu suprir a demanda.

Especialmente em cidades onde o táxi deixa a desejar, como San Francisco e Paris.

No Brasil, a classe dos taxistas, que tem inúmeros privilégios [como não pagar IPVA, IPI, ser liberado do rodízio, andar em faixas de ônibus] e cria redes de monopólio de pontos em aeroportos, shoppings, chia com o aumento da carona compartilhada e paga.

Diz que recebe treinamento, o que motoristas do Uber não recebe.

Mentira.

Primeiro que muitas vezes quem está dirigindo não é o dono da licença.

E o treinamento é tosco.

Taxistas ingleses ficam 2 anos se preparando antes de irem para as ruas,

Precisam saber de cor o nome de milhares de ruas londrinas.

Aqui, muitos não conhecem as ruas, e a maioria se recusa a usar Wase, aplicativo para se desviar do trânsito, pois não quer aumento na conta do celular.

Uber não pode agir sem nenhuma regulamentação pública.

Mas, na conta do lápis, veja realmente quem paga impostos e decida:

 

11227864_918879511501770_84607151823325082_n