tudo igual apesar de kevin espada

tudo igual apesar de kevin espada

Marcelo Rubens Paiva

14 de março de 2013 | 12h56

 

Ontem no Pacaembu, flanelinhas cobrando R$ 40.

Nada da polícia.

Cambistas cobrando R$ 400 na arquibancada laranja.

Preço oficial era de R$ 130 a R$ 200.

Polícia olhando.

Cerveja gelada de ambulantes na porta do estádio.

Dentro, churros a R$ 4, açaí a R$ 8, copinho de água a R$ 3. E chuva na cabeça no final do jogo.

Juiz ladrão, violência em campo, ninguém expulso, erro de bandeirinha. Libertadores.

Partidaço do Timão, raça e titecooperativismo em campo.

Gaviões entrou entoando: “Se Corinthians não ganhar, olê olê olá… O pau vai quebrar.”

O resto da torcida, 95%, se entreolhou apontando, lamentando.

Não nos comparem a eles.

Respeitamos sua história, admiramos muitas ações, mas não compactuamos.

Mudanças?

Sumiram os fogos e sinalizadores.

Não pode ficar por isso mesmo. Não pode…

O problema é encontrar quem realmente queira moralizar e tenha peito [ficha limpa] e respeito para isso.

Por que Gaviões não entoaram”Dê uma chance à paz”?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: