se é para mudar, comece hoje

se é para mudar, comece hoje

Marcelo Rubens Paiva

27 Fevereiro 2013 | 11h58

 

OK, não irei ao PACAEMBU hoje.

Apesar dos R$ 130 que paguei pelo ingresso.

Sou dos que compraram com antecedência pela internet. Sou Sócio Torcedor.

Nunca bajulei a diretoria do time para conseguir convites, não dou carteirada de jornalista, me arrependi das poucas vezes que aceitei convites de patrocinadores, e até evito me inscrever na cota de portadores de deficiência, que entram de graça [um número limitado].

Pago Sócio Torcedor para garantir meu lugar, ajudar o time que amo e por acreditar na modernização do futebol.

Eu tinha comprado ingressos dos 3 jogos da fase de grupos da LIBERTADORES.

Meu preju, se a CONMEBOL manter os jogos com portões fechados, será de R$ 390, sem contar a anuidade.

Achei justa e interessante a punição.

Mas, por favor, punam também os vândalos, tirem das arquibancadas os brigões, listem aqueles que sempre causam problemas, proíbam de entrar, afastem de nós, proíbam sinalizadores, fiscalizem. A torcida agradece.

A PM há anos filma a torcida. Vemos suas câmeras instaladas nos gramados e apontadas para nós. Tem um banco de dados, monitora os infratores, pode ajudar a aumentar a segurança do torcedor? Prenderam aqueles que quebraram alambrados, cadeiras, invadiram gramados, estragaram o espetáculo?

O dia de hoje nos faz refletir sobre o conjunto de ações que poderiam ser tomadas pela torcida e organizadores do espetáculo, dos clubes aos administradores públicos.

E sobre a morte infeliz [assassinato] causada por um torcedor irresponsável, que estava com uma arma na mão e sob custódia de uma torcida polêmica, amada e odiada, exemplar e vergonhosa, que tem uma relação simbiótica e questionável com o clube.

E sobre a posição histérica do time, que viu escoar pelo ralo perto de R$ 6 milhões, só na primeira fase, se sentiu onipotente e ameaçou sair da competição, depois impedir o televisionamento do jogo de hoje, agora entrar com recurso na FIFA, sem dar o bom exemplo que os sensatos esperavam.

Sou dos torcedores que vão ao PACAEMBU em todos os jogos da LIBERTADORES, COPA do BRASIL e, quando dá, do BRASILEIRÃO. Evito o PAULISTÃO, competição secundária. Boicoto o MORUMBI, que trata deficientes com desdém.

Fico na arquibancada, para sentir a vibração. Desde 1966.

Se a punição é para servir de exemplo, posso então listar o que poderia ser feito para melhorar o espetáculo:

1. Os jogos terminam à meia-noite. O metrô fecha. Parte da torcida sai na metade do segundo tempo [e corre]. Culpa da REDE GLOBO, que insiste em manter uma escala de programação que prioriza a teledramaturgia e empurra o jogo para às 22h.

Moro a três estações do estádio, eu poderia [e preferia e muito] ir de metrô.

Se a emissora é a maior fomentadora do futebol brasileiro, se é por causa do que paga aos clubes que temos NEYMAR, PATO, RONALDINHO GAÚCHO, ALEX, LUIS FABIANO, FRED, SEEDORF e tantos craques em campo, é por causa dela que a volta do estádio é um transtorno para a cidade e torcedores, é perigosa e penosa.

2. O torcedor é extorquido em todos os jogos por flanelinhas mais organizados e difíceis de combater do que o Exército de Ho Chi Minh, que cobram de R$ 20 a R$ 40. A PM finge que não tem nada com isso, a GUARDA MUNICIPAL faz rondas e olha para o lado oposto, nada de fiscais, Ministério Público. Um crime se comete aos olhos do Poder Público, e nada.

3. A comida no PACAEMBU é um lixo e cara. R$ 4 um picolé, R$ 4 uma coca quente. Uma pipoca morna e churros nojentos percorrem toda a arquibancada sem vedação. Uma blitz da Vigilância Sanitária encontraria mais bactérias do que quero-queros.

4. Sempre há filas insanas para entrarmos no estádio. O preço é de CIRCO DU SOLEIL. O tratamento é de Colônia Penal.

5. Há apenas um banheiro para deficiente na arquibancada laranja. Um!

6. Não há banheiros para os torcedores que ficam na arquibancada superior. São obrigados a descer, percorrer toda a escada e recorrer aos químicos.

7. Fogos.Em jogos decisivos, alguém [torcida, clube, patrocinador?] detona por 15 minutos fogos de artifícios sobre a laje. Durante 15 minutos, fagulhas caem em nossos cabelos, camisas e pernas. Durante 15 minutos, ficamos apagando com as mãos chamas pequenas que impregnam nossas roupas e dos nossos parentes e amigos. Depois, temos mais 15 minutos para suportar a fumaça tóxica de proveniência duvidosa que, dependendo do vento, paira sobre nós.

8. Telões. Algum estádio brasileiro tem telão, para revermos lances importantes?

Muita coisa mudará com a construção de arenas para a COPA.

Mas se é para mudar, que se liste a responsabilidade de cada um. E que se comece hoje.