se acabando

se acabando

Marcelo Rubens Paiva

27 de agosto de 2010 | 21h19

Você roda o mundo, procura, procura, e acaba sempre encontrando um bar semelhante ao que você frequenta com seus amigos nativos.

Não se parece com a MERÇA?

Mas se chama BARÃO VERMELHO, e é na Bastilha, onde começou a Revolução, e que tá mais pra Vila Madalena do que a própria. Não adianta, tem bebum em toda a parte. Sexta-feira então…

 

parisverao 081parisverao 086

 

E então,como se estivesse em casa, me acabei…

 

parisverao 097

 

 

Até descobrirem que sou brasileiro.

Tomo banho, danço lambada e tenho samba nas rodas.

Além de corintiano, maloqueiro, sofredor.

Bem, sabe como são as francesas, todas taradas, inventaram o beijo de língua, a batata frita e o sovaco au naturel.

Ou será que é por causa do Real valorizado, que fui assediado assim?

Interesseiras…  

Nem dei bola, peguei a minha camisa listrada e saí de masinho.

Bon soirée, madames…

Prefiro as negas da ZO.

 

parisverao 090parisverao 091parisverao 092

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.