sabedoria infantil

sabedoria infantil

Marcelo Rubens Paiva

14 de novembro de 2013 | 12h15

 

Imagine um livro de definições que crianças dão sobre tudo, sobre o universo, Deus, a vida, os adultos.

Violência: “A parte ruim da paz”. Foi uma criança de 7 anos, Sara Martínez, quem resumiu.

Imagine aforismas, dilemas e paradoxos de alguém que para tudo para brincar no recreio.

De A a Z, o dicionário CASA DAS ESTRELAS: O UNIVERSO CONTADO PELAS CRIANÇAS, foi publicado pela primeira vez na Colômbia em 1999, traz definoções sobre quase tudo.

Um professor, Javier Naranjo, compilou as feitas por crianças colombianas.

 É lançado nesta semana aqui no Brasil pela FOZ, com ilustração de LARA SABATIER.

Tem poesia e sabedoria nas cabecinhas das crianças.

Adulto: “Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma”.

É a definição de uma criança de 8 anos, Felipe Bedoya.

Sabedoria infantil que parece sem limites.

E prova que na simplicidade está a essência.

Ou que muitas vezes não vemos o que vemos:

Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)

Água: Transparência que se pode tomar (Tatiana Ramírez, 7 anos)

Branco: O branco é uma cor que não pinta (Jonathan Ramírez, 11 anos)

Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos (Luis Alberto Ortiz, 8 anos)

Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)

Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana María Noreña, 12 anos)

Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)

Escuridão: É como o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)

Guerra: Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Mejía, 11 anos)

Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)

Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natalia Bueno, 7 anos)

Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna García, 8 anos)

Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzate, 6 anos)

Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)

Solidão: Tristeza que dá na pessoa às vezes (Iván Darío López, 10 anos)

Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)

São quase 500 definições para 133 palavras, compiladas pelo professor que deu aula em escolas rurais do Estado de Antioquía (no leste do país).

“Nós adultos somos condescendentes quando falamos com as crianças e deve ser o contrário. Mais que nos abaixarmos temos que ficar na altura deles. Estar à altura deles é nos inclinarmos para olhar as crianças nos olhos e falar com elas cara a cara. Escutar suas dúvidas, seus medos e seus desejos”, disse Navajo para a BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: