Revista de Doria se dá bem

Revista de Doria se dá bem

Marcelo Rubens Paiva

28 Março 2017 | 13h40

capa_lide_49 fhc 436608116079466

 

No mundo todo, o jornalismo impresso, sofrendo concorrência pesada da internet e das redes sociais, sob crise, enxuga redações, diminui tiragens.

Muitas fecharam.

Mas LIDE, revista de 120 páginas do grupo Doria Editora, especialista em fóruns econômicos, varejo e consumo, parece revitalizada.

Era bimensal, passou a mensal.

Voltada para o público A+, sua tiragem anda pelos 40 mil [preço R$ 15].

Anúncios também não faltam.

Vai do hotel Copacabana Palace, Cataratas, restaurante Rodeio e Piseli, dos Jardins, a rede Sapore, Vivo, ao Governo de Goiás [território tucano].

A informação é da própria editora.

O destaque são os laboratórios farmacêuticos E.M.S e Ultrafarma, que estiveram nos painéis eletrônicos da última partida da seleção brasileira de futebol, divulgando São Paulo.

A lembrar que Doria reviu toda política de medicamentos gratuitos, que deixaram de ser distribuídos pela rede pública e passaram à rede privada.