RESSACA

Marcelo Rubens Paiva

17 de junho de 2009 | 12h30

a maçaneta da porta emperrou
colocaram fogo no elevador
fumo sem parar
bebo sem parar
hoje eu queria que ontem não existisse
é
eles têm razão
beba com moderação
nem cantar consigo
minha música é um zumbido
minha língua estala
dancei a noite toda
tudo dói
por que a gente é assim?
não quero escrever
quero só esquecer
não quero ler
hoje podia ser logo amanhã
para meus olhos voltarem a ver
o que hoje é transparente
incolor
o mundo podia parar de girar
só hoje
até eu curar
essa puta ressaca
não me paguem mais bebida
helena, por que você me deu aquela garrafa ontem?
marião, porra, precisamos maneirar
você vulgarizou a palavra amor
pé na bunda rima com uísque de segunda?
paula, chegou bem em casa?
a gente quase rola pela calçada
voltei escutando billy paul no talo
como na minha adolescência
ainda bem que não tinha blitz
e que não matei ninguém
alguém esqueceu algo no meu carro?
dói olhar
dói escutar
dói pensar
hoje não quero nada
não penso em nada
não sinto fome
não quero ser beijado
nem tesão eu tenho
o vento agride
o sol cega
vou acender mais 1
rsrsrsrsrsrsrsrs
não me telefonem
só hoje
amanhã recomeçamos
o que parece não ter fim
essa vida plugada na tomada
220 volts
por que a gente é assim?
serafim?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.