Parque aberto por ativistas

Parque aberto por ativistas

Marcelo Rubens Paiva

18 Janeiro 2015 | 13h44

Porta pq augusta 7 Rafael Frazão

 

Parque Augusta tá aberto.

Enquanto a Prefeitura não age.

Cadeados foram arrancados.

E começaram as atividades.

Hoje tem:

 

11h sítio arqueológico / limpeza
14h veganic
15h debate sobre direitos dos animais Bruno Azambuja
15h show Pequeno Cidadão
16h roda de conversa: doc “Luta pela terra Tupinamba na Bahia”
16h30 show Gustavo Galo (Trupe Chá de Boldo)
17h “Mentes engaioladas – até quando?” Teatro VEDDAS
18h As Mercenárias
19h Vandalismo Lírico
20h slam resistência

20H  banquete comum / picnic
20H assembleia Parque Augusta

Sobre o Parque Augusta

Último terreno com vegetação remanescente Mata Atlântica no centro de
São Paulo, o Parque Augusta possui 24.750 m² de área e está situado no
entroncamento das ruas Caio Prado, Augusta e Marquês de Paranaguá.
Dividido em três lotes – cada um com matrícula própria – há em um deles
o bosque, que ocupa cerca de 40% do local. O lugar é tombado pelo
Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico,
Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo) e possui mais de 800
árvores catalogadas e registradas, com grande variedade de aves
residentes do bosque e migratórias. Além disso, as edificações do antigo
Colégio Des Oiseaux também foram tombados. A área restante é
parcialmente cimentada, conta com poucas árvores (não sei pq dizer isso,
temos que dizer que tem várias árvores, todas são tombadas, todinhas,
até os exemplares isolados) e até o fim de dezembro de 2013 funcionava
nela um estacionamento. No dia 23 de dezembro de 2013 o prefeito
Fernando Haddad sancionou a lei de criação do Parque Augusta. Três dias
após o fato, o parque foi fechado (pelos proprietários e, apesar da ação
civil pública movida para a abertura dos portões, eles continuam
fechados até os dias atuais) e continua assim até os dias atuais.

Sobre o Organismo Parque Augusta

O Organismo Parque Augusta luta para a abertura do parque desde dezembro
de 2013, organizando festivais, oficinas e aulas públicas, entre outros
eventos. O movimento não tem líderes e nenhum grupo ou entidade
oficialmente constituído o representa. Organiza-se a partir de
assembleias públicas semanais (que acontece às segundas-feiras),
reuniões de grupo de trabalho e ações diretas pela rua e internet. É um
movimento autogerido, horizontal, heterogêneo e aberto à participação de
quem se interessar em apoiar a causa.

Parque Augusta 100% público e com gestão popular.
Para mais informações: www.parqueaugusta.cc