Paixões infantis

Paixões infantis

Marcelo Rubens Paiva

06 de março de 2014 | 11h19

Quem se atreve a dizer que crianças não se apaixonam?

E que não há desejos secretos que só depois, adultos, compreendemos do que se trata?

A indústria do entretenimento infantil sabe muito bem disso.

E nos provocou e provoca até o limite.

No caso da minha geração, para nos seduzir mais ainda, rolava ao redor dos estúdios e nos bastidores das produções uma revolução sexual, psicodelismo, drogas e muita loucurama.

Que eram refletidas nas séries.

Pois aqui vai a lista das minhas primeiras paixões.

Barbara Feldon de Agente 86, a charmosa e esperta agente e espiã que corrigia as trapalhadas de Max.

 

 

Julie Newmar como a Mulher Gato do seriado da TV, BATMAN, que enlouquecia o homem morcego com uma roupa de couro sadô e o corpaço violão.

 

 

Yvonne Craig como Bat Girl também mexia com nossas fantasias, com sua roupa justa, a capinha fofa, combatendo o crime numa motoca com babados, que comia poeira, mas era fofinha.

 

 

 

 

Marta Kristen como Judy Robinson, a filha mais velha da família Robinson, que se perdeu no espaço em PERDIDOS NO ESPAÇO e deixava monstros alienígenas fascinados pelos olhos e pela coleção de minissaias que levou na nave.

 

 

 

 

 

Barbara Eden de Jeannie É um Gênio seduzia apenas o Major Nelson, e enfurecia as feministas da época.

Representava tudo aquilo que elas combatiam: uma mulher das Arábias, de rosa, doce, sexy, submissa, fiel, que literalmente fazia mágica e não torrava o homem do lar; dormia na sua garrafa.

Podia ser uma aberração ideológica, mas que cintura…

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.