o oscar na pirataria

o oscar na pirataria

Marcelo Rubens Paiva

03 de fevereiro de 2014 | 18h16

 

Oscar 2014 será no dia 2 de março.

Os indicados já foram anunciados. Entre os melhores filmes estão American Hustle, Capitão Phillips, Dallas Buyers Club, Gravidade, Her, Nebraska, Philomena, 12 Anos de Escravidão e O Lobo de Wall Street.

12 Anos de Escravidão, a barbada, ganhou já o Globo de Ouro.

Estreia só no final de fevereiro.

Mas é a estrela de bancas piratas desde dezembro.

Na capa amassada, BRAD PITT, que aparece cinco minutos no final do filme de duas horas e dez minutos.

BRAD é um dos produtores do filme do genial Steve McQueen, diretor da adaptação da autobiografia homônima, best-seller de 1853, de Solomon Northup, cuja tradução em português logo logo chega às livrarias.

E BRAD vai tomar um baita cambau da distribuição brasileira: até o filme estrear, a maioria do público pagou 5 pratas para assistir em casa a uma cópia pirata com legenda que, hoje em dia, se vende até na feira livre.

Por que o circuito demora tanto para colocar em cartaz um filme em evidência?

Ou por que alguns filmes, como LAS ACACIAS, entram em cartaz em algumas sessões no Cine Sesc, e somem das telas, quando o boca-a-boca cresce, para reaparecer nos papelões dos piratas da região da Paulista?

O mercado dá bobeira para a pirataria. É lerdo.

Oscar para a pirataria, que expõe todos os candidatos antes da maior interessada, a indústria, exibir.

Tem gente perdendo dinheiro à toa.

Agora mesmo, vou até o metrô e encontro nas duas esquinas duas bancadas de papelão recheadas de lançamentos com legenda que não estrearam.

Pego metrô, desço na Paulista, desço pela Augusta e monto uma DVDteca, ao lado do Espaço Itaú de Cinema.

Por dez pratas, levo três.

Tem pirata especialista em filme argentino (que se diz argentino).

Tem pirata nas duas extremidades da minha feira, ao lado do pastel, e outro numa bancada de madeira no meio, entre os tomates e as rúculas.

Sentadinho, é o único calado na xepa.

Deve ter excelentes conexões, já que se sabe que é mais fácil herdar um cartório do que conseguir uma licença para vender numa feira livre de São Paulo.

Meu amado mercado, acorda. Agilidade. Pensa rápido. Dá pra ganhar dinheiro com cinema. Mas tem que abrir os olhos. Os piratas estão meses na frente e ganhando os troféus.

PS> Antes que eu me esqueça, pirataria é crime!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.