machado invejava quem?

machado invejava quem?

Marcelo Rubens Paiva

08 de agosto de 2013 | 12h46

 

Afirmar que Machado tinha “inveja” de Eça de Queiroz, porque escreveu duas críticas sobre O Primo Basílio, é defender que resenhista que critica inveja.

Quem garante a inveja?

Há relatos, cartas, testemunhos?

Todos os grandes escritores da época, de Tolstoi a Flaubert, se debruçaram sobre a nova burguesia sem moral e sua grande contradição, o adultério.

Como Eça e, depois, Machado.

No mais, antes de Brás Cubas, Machado já experimentava em contos seu novo estilo.

A suspeita levantada hoje pela FOLHA é mais uma carnavalização da Crítica Literária sobre a guinada na vida do antes romântico.

Eça, como Stendhal, foram lidos por Machado.

Apontar quem mudou o seu estilo é um chute de bruxo.

Especular é a essência da crítica.

Que transfere seus sentimentos, como inveja, para escritores ligados no seu tempo e nas transformações das artes.

Machado não virar “realista” seria como Van Gogh desprezar as experiências iluministas.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: