Governo deixa cultura de lado

Governo deixa cultura de lado

Marcelo Rubens Paiva

16 de abril de 2019 | 11h37

Há tempos que o governo brasileiro deixou de comprar livros. Não se sabe como repõe exemplares em bibliotecas, universidades e escolas. Recentemente, os questiona. Quer reescrever alguns.

BNDES, grande parceiro do cinema nacional, cortou 40% da verba cultural. Destinará apenas R$ 5 milhões em 2019.

Agora, é a Petrobrás que se retira de cena.

“Para nós, cultura é uma energia poderosa que movimenta a sociedade”, anuncia o site da empresa.

Não mais.

Ela deixa de fazer parcerias com os principais festivais de cinema do país, Festival do Rio de Janeiro, Festival de Brasília, Mostra de Cinema de São Paulo, Anima Mundi, de teatro, Festival de Teatro de Curitiba, Teatro Poeira, e música, Prêmio da Música Brasileira.

Os programas de patrocínio da petrolífera estão em revisão desde que Bolsonaro afirmara via Twitter: “Determinei a reavaliação dos contratos. O Estado tem maiores prioridades”.

A empresa, grande parceira da classe teatral e dança (Grupo Corpo e Companhia de Dança Deborah Colker), afirma que ela deve focar em projetos de ciência, tecnologia e educação.

Com o preço do barril de petróleo nas alturas em 2011, chegou a destinar R$ 350 milhões para a cultura.

Em 2018, foram R$ 38 milhões.

Fichinha, perto de outros gastos.

Apenas no primeiro trimestre do governo Jair Bolsonaro, os gastos em publicidade chegaram a R$ 75,5 milhões; aumento de 63% em relação ao mesmo período de 2018.

Só as aliadas TV Record e SBT embolsaram em três meses R$ 17,6 milhões.

Numa canetada mal digerida pelos liberais na sexta-feira dia 12/04, a empresas perdeu R$ 32,4 bilhões em valor de mercado, depois que Bolsonaro impediu o aumento do diesel.

O TCU apontou em 2018 prejuízo de R$ 950 milhões do BNDES em operação só com a JBS.

Segundo nota de Lauro Jardim publicada há dois meses, o procurador da República Ivan Cláudio Garcia Marx vai cobrar da JBS o ressarcimento de ao menos R$ 2 bilhões ao BNDES, por conta dos prejuízos causados ao banco de fomento.

O site da petrolífera não foi atualizado. Está lá:

Atuação na cultura. Valorizamos nossas raízes e o poder da diversidade. Para nós, cultura também é energia. Uma energia poderosa que movimenta a sociedade através da criatividade e da inspiração e que promove crescimento e mudanças. Apoiamos a cultura brasileira como força transformadora e impulsionadora do desenvolvimento.

Programa Petrobras Cultural. É o nosso programa de patrocínios às artes e à cultura. Apoiamos projetos brasileiros com valor cultural destacado, inovadores e que sejam realizados com apuro técnico, excelência e tenham atuação abrangente.

Selecionamos projetos que, indo além do seu mérito cultural, estejam alinhados à nossa estratégia de marca e possam nos auxiliar a construir as melhores experiências junto às pessoas. Nossas linhas prioritárias de atuação são:

Música

Audiovisual

Artes Cênicas

Já era.