Estou puta

Estou puta

Marcelo Rubens Paiva

13 de novembro de 2009 | 12h33

Escrevi num post abaixo, Homem das Cavernas, sobre o caso da Uniban:

O fato parou a faculdade. Uma aluna afirmou que os colegas ficaram gritando “puta” para ela. O coral de gritos de “puta” a acompanhou até que deixasse o prédio.

Uma catarse masculina exigiu à força que os padrões que eles consideram corretos fossem respeitados. Submeteram uma mulher ao humilhante papel de obedecer.

No dia seguinte, não houve manifestação ou passeata. O caso seria esquecido se não causasse alvoroço na internet. Garanto que suas colegas, em protesto, não apareceram todas de minissaia nas aulas seguintes. Ao contrário, muitas delas devem ter dito: “Essa puta mereceu.”

Bem, dos alunos da Uniban, nada.

Mas, em frente, a UNE protestou, Sabrina Parlatore apareceu de minissaia e decote [não apenas para protestar, mas para aproveitar o gancho e fazer uma matéria para um programa de TV].

Umas minas da UNB apareceram peladas ontem pelos corredores da universidade. Sempre a UNB faz os protestos mais malucos, desde os meus tempos de faculdade.

E agora convocam pela internet o Flash Mob ESTOU PUTA. Para hoje, sexta-feira 13. Todas as minas de minissaia.

Em protesto “às turbas, aos bullyng, à violência contra as mulheres em defesa da liberdade de expressão textual, corporal, visceral.”

Lema:

SAIA de SAIA,
SAIA como quiser!!!

Flash Mob é aquela mobilização em que centenas de pessoas aparecem do nada num lugar público, fazem algo que difere da rotina e se mandam.

Solicitam a convocação por torpedos, blogs, twiter, facebook, orkut, ligações, encontros.

Em Porto Alegre, me mandaram um email para informar que o Flash Mob da SAIA será hoje às 19h próximo ao balcão de informações da praça onde se inaugura a Feira do Livro. Pô, logo nessa edição da feira, em que não fui.

Perderei as gurias de minissaia!!!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.