esse vai pegar

esse vai pegar

Marcelo Rubens Paiva

10 de abril de 2010 | 12h53

O aplicativo ideal:

Pouco a pouco, a revolução tecnológica encontra aplicativos que pegam, que serão usados por todos e facilitarão a vida social do usuário.

É isso que somos hoje em dia, usuários.

Interessante como o foco é a vida social. Resultado da febre urbana. Especialmente no Brasil, País em que o Orkut e o Face bombaram.

Google foi a salvação de jornalistas, estudantes, pesquisadores. Até de doentes, que recorrem ao Dr Google para se auto medicarem. Sem contar o Google maps.

Tem os sites de relacionamento, Skype, Messenger, que possibilitam reuniões à distância [já fiz várias] e reencontros amorosos sem toque, reencontros de amigos, paqueras…

Sem contar o GPS, a salvação dos taxistas e passageiros.

Algumas bobagens pareciam certeiras, como o Second Life, que durante um tempo foi o queridinho da indústria da propaganda, causou furor no mercado e uma corrida do ouro, e se mostrou a maior babaquice já inventada.

Cheguei a ir a festinhas em que alguns geeks estavam com seus laptops no colo, vivendo a segunda vida, enquanto, na primeira, garotas bonitas e oferecidas circulavam e bebiam.

Num Ipod cabe toda a vida musical e fotográfica.

O IPad é uma extensão melhorada do IPhone, com um ciclo enorme de aplicativos. Se pegará ou não é a pergunta do ano.

Os e-books pegaram. Facilitarão a vida dos estudantes do futuro, que com um toque terão todos os livros e apostilas no bolso.

Me falaram de um aplicativo novo que já pegou lá fora e será com certeza uma febre por aqui: Foursquare e Gowalla.

A ideia é sensacional!!!

O usuário informa pelo celular onde está. Seus amigos fazem o mesmo.

Num mapa do GPS, ele vê quem está próximo. Basta informar onde também está.

Exemplos:

Num estádio – você saberá quem foi ao jogo e onde está sentado; poderá se juntar ao grupo de amigos.

Na saída do cinema – onde comer? pela tela do celular, você saberá onde está a turma, ou a paquera, ou a desavença, e escolhe com quem se juntará.

Num parque – de repente, atrás daquela árvore, está o seu amigão de infância, que você está louco pra reencontrar.

Num show – você não se perderá mais da turma, na ida ao banheiro.

Na insônia – puxa, descobre, estão todos no bar, e eu aqui, fritando, levanta!

Na solidão – olha aquele cara gente fina está na fila daquela peça, vou também.

Claro que há possibilidades de o usuário controlar quem poderá encontrá-lo, para evitar que aquele mala ou aquele cara ou mina que dispensou apareça “de surpresa”, em opções de privacidade.

Não é demais?

+++

Vi o DANI crescer.

O moleque de 22 anos resolveu intervir na cidade.

Num relógio desligado da DOUTOR ARNALDO, colou:

ACORDADORME

A COR DA DOR

A DOR ME ACORDA

ME ACORDA DOR

DORME ACORDA

Poesia! No caos.

ACORDADORME7

Tendências: