Esse tal de amor…

Esse tal de amor…

Marcelo Rubens Paiva

23 de outubro de 2009 | 13h54

É, a abertura da MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE SÃO PAULO ontem foi um repeteco das anteriores.

Mas anunciaram a novidade.

A MOSTRA deste ano é O Primeiro Festival Online do Mundo. Fechou um acordo com THE AUTEURS (www.theauteurs.com) e se tornou o primeiro festival a exibir filmes em streaming- alguns filmes estarão na internet, depois de serem exibidos. De graça! Pra todo Brasil.

A THE AUTEURS é a maior comunidade online de filmes independentes e clássicos. É parceira exclusiva da World Cinema Foundation, a fundação para a preservação de filmes do Scorsese.

Olha os títulos e as datas de exibição online:

13 MINUTOS, de Felipe Briso, Gilberto Topczewski (Brasil) – 24/10

AMOR EM TRÂNSITO, de Lucas Blanco (Argentina)- 24/10

BR3 (FICÇÃO), de Evaldo Mocarzel (Brasil) – 24/10

BR3 (DOCUMENTÁRIO), de Evaldo Mocarzel (Brasil) – 24/10

UM LUGAR AO SOL, de Gabriel Mascaro (Brasil) – 28/10

TIKIMENTARY, de Duda Leite (Brasil) – 24/10

À MARGEM DO LIXO, de Evaldo Mocarzel (Brasil) – 25/10

CORTEJANDO CONDI, de Sebastian Doggart (EUA, Reino Unido) – 26/10

DENTRO DA LEONERA, de Nicolas Bénac e Cedric Robion (França) – 25/10

MOMENTOS DE JERUSALÉM, vários diretores (Israel) – 27/10

NÓS QUE AINDA ESTAMOS VIVAS, de Daniele Cini (Itália, Argentina) – 24/10

FUTEBOL BRASILEIRO, de Miki Kuretani e Tatiana Vilela (Japão, Brasil) – 26/10

HUGO REI E SUA DONZELA, de Franco de Peña (Polônia, Venezuela) – 01/11

O PEQUENO INDI, de Marc Recha (Espanha, França) – 27/10

AQUILES E A TARTARUGA, de Takeshi Kitano (Japão) – 30/10

A CANTORA DE TANGO, de Diego Martinez Vignatti (Bélgica, Argentina, França, Holanda) – 28/10

O JOGO DO PAI, de Michael Glawogger (Alemanha, Áustria) – 28/10

TUDO QUE NOS CERCA, de Hashiguchi Ryosuke (Japão) – 24/10

SIRI-ARA, de Rosemberg Cariry (Brasil) – 02/11

REIDY, A CONSTRUÇÃO DA UTOPIA, de Ana Maria Magalhães (Brasil) – 29/10

O CERCO, de Toshi Fujiwara (Japão) – 01/11

VENCER, de Marco Bellocchio (Itália) – 29/10

SEGUINDO EM FRENTE, de Hirokazu Kore-Eda (Japão) – 24/10

KALANDIA, HISTÓRIA DE UMA FRONTEIRA, de Neta Efrony (Israel) – 26/10

+++

Marcada para às 21h, a abertura começou lá pelas 22h30. No hall do teatro, quase todos do meio. Era um tal de “tá pronto o roteiro?”, “finalizamos”, “vi o primeiro corte”, “falta ainda uma grana”, “telecinamos”, “começamos a rodar”…

Encontrei o diretor e produtor CAITO ORTIZ, da Prodigo, que vai filmar o meu livro BLECAUTE. Soube por acaso que o roteiro está levantado. Finalmente. Este livro já foi vendido para outras produtoras, todas tentaram, mas não conseguiram. É meu segundo livro mais famoso e que mais vende. Será que dessa vez sai?

Encontrei meu diretor Alexandre Stokler, que monta o seu filme LINHA DE FUGA, em que atuei, junto com dezenas de atrizes e atores- já falei dele aqui. Me disse que num dado momento sou o que mais aparece no filme. Vixê…

Eu fiquei completamente bêbado nas filmagens, exatamente como o personagem pedia. E não era chazinho na garrafa de uísque. Era o próprio, um 12 anos. Lembro que a minha língua não me obedecia muito no final. Até inventei um caco enorme, absurdo, podre, pornográfico, imundo, que não estava no roteiro. Me empolguei, e que eles não desligaram a câmera. Espero que a minha mãe não o assista.

Minha amiga ALESSANDRA NEGRINI, que vai fazer o meu filme NO RETROVISOR e se mudou para São Paulo, de onde nunca deveria ter saído, estava um arraso de vestidinho curto azul piscina.

E, pra variar, nosso grande homem de cultura e especialmente do teatro, o fomentador DANILO DE MIRANDO, do SESC, foi o mais aplaudido. Uma pena que ele não queira ser ministro de jeito nenhum, apesar de sempre convidado. Bem, não é uma pena. Deixa ele no SESC. Todos saem ganhando.

SERGINHO GROISMAN soltou a piada da noite. Perguntado no palco qual o filme mais marcante de sua vida, ele soltou: MAZZAROPI CORINTIANO.

Depois, RIMOS JUNTOS, e me lembrou que eu queria iniciar o filme FIEL, de que somos roteiristas, com imagens do MAZZAROPI CORINTIANO. Não rolou. Mas seria demais…

Falaram representantes do Estado, Prefeitura e União [ministro dos Esportes]. Falou-se até no pré-sal [o representante da Petrobras].

A representante da SABESP, empresa que é a terceira que mais investe em cinema no Brasil, foi curta e soltou o lema: “Pra quem tem sede de cultura.” Genial. Valeu SABESP! Pena que não investem também em teatro.

Depois, caímos no arrasta-pé lá na THE WEEK. Bebida e comida de graça. Porém, MACARENA e IVETE SANGALO nas caixas. Lamentável… Os DJs de agora redescobriram a MPB. Sim, ainda bem, enterraram a indigesta música eletrônica. Mas IVETE é f*a! Nada a ver. Toca Raul!

+++

Hoje passa o filme PONTO DE VIRADA. Do diretor FRANK MORA. “Dez personalidades do mundo dos esportes, como Raí e Eder Jofre, e da cultura, como Marcelo Rubens Paiva, Kiko Zambianchi, José Celso Martinez Correa, Tata Amaral, Milhem Cortaz, Julio Medaglia, Laerte e Daniel Daibem, são convidadas a responder a questão: qual o dia que mudou sua vida?”

Adivinha quem teve um dia que mudou a sua vida completamente?

É, estou no filme. LEON CAKOFF disse que estou bem. Ainda bem… Este, minha mãe pode assistir. CINE BOMBRIL, 22H30.

+++

E hoje é dia de cinema, mas tem a peça LA MUSICA, no TUCA ARENA. Hoje, sábado e domingo. Com XUXA LOPES e HÉLIO CÍCERO, dois mestres.

Texto da conturbada e sensível Marguerite Duras, que nasceu no Vietnã- o que está no livro O Amante, adaptado para o cinema por Jean-Jacques Annaud-, e que explora todas as facetas da perturbação da sexualidade feminina empastelada pela sociedade conservadora pré-emancipação.

DIREÇÃO do Marcos Loureiro, fala do reencontro de um casal, casados durante 15 anos, que se separara e decide, num hotel da vila francesa em que morava, fazer os últimos acertos do divórcio.

Descobre-se que o tédio do relacionamento os levaram a ter casos. Ela não suportou o papel da subjugada, quando intuiu que o marido a traía. Ele demonstra um patético arrependimento.

Peça cruel, para aqueles que acreditam em redenção. O amor de hoje é fluido, diria BAUMAN, o sociólogo de Amor Líquido e Vida Líquida.

Bauman sugere que as relações humanas estão cada vez mais flexíveis, alimentando insegurança, e pergunta: se hoje vivemos em redes virtuais, que aproximam e afastam as pessoas, somos capazes de manter laços fortes e relações verticais?

O mundo utópico faliu, dos ideias ao coletivismo. O prazer e o dinheiro molda o indivíduo contemporâneo, movimenta as relações. Estamos na era da diversão e novidade, do hedonismo e consumo. O mundo moderno emite sinais confusos, que mudam com rapidez e de um jeito imprevisível. Dorme-se num mundo, acorda-se em outro. O casamento resiste?

+++

Curiosamente, o mesmo texto, com outro nome, A MÚSICA SEGUNDA, em cartaz também no TEATRO VIVO, direção de JOÃO POSSI NETO [com o mestre da sutileza LEO MEDEIROS e a linda HELENA RANALDI].

Pura coincidência. Ambos os grupos descobriram que montavam o mesmo texto durante os ensaios. Acontece. Tudo bem. Duas versões em dois lados dessa cidade gigantesca.

+++

E hoje tem BRUTAL, peça do meu amigo MÁRIO BORTOLOTTO, meia-noite nos PARLAPAS. Um texto que começa engraçado, pouco a pouco passeia pelas entranhas e expõe um lado da crueldade humana, da alienação, recorrente e de que somos vítimas e agentes.

Trata-se de uma seita que, como tantas outras, trafega entre a loucura e o abuso de poder. Seu líder seduz mulheres com um papo-furado em que só as desesperadas caem. Ou somos todos desesperados por uma causa? Basta usar a palavra certa pra dominar um povo?

Vê-se ali nossa maior fraqueza, a busca pelo amor e por uma fé, e como ela pode ser manipulada. Grande peça, grandes atuações, dá-lhe MARIÃO!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: