dar uma de migué

dar uma de migué

Marcelo Rubens Paiva

05 de abril de 2013 | 20h35

 

“O homem que volta ao mesmo rio, nem o rio é o mesmo rio, nem o homem é o mesmo homem.”

Heráclito é dos meus filósofos favoritos.

Pra mim é um dos pensadores mais pops.

Profundamente simples. Tem simplicidade na profundeza.

Reparei que, na volta, tentamos refazer o caminho da ida.

Uma forma mais segura de seguir, já que se conhece o chão e os atalhos.

Nunca entendi por que a volta parece mais rápida que a ida.

Por que as novidades ficaram para o passado?

O homem tente a caminhar junto. Tende a imitar.

Até aquele que quer rodar.

Fui, voltei, fotografia a ida na volta, e a volta com a ida na pausa.

 

 

 

É para isso que serve um passeio na praia, para descobrir como tudo começou.

E que o caminho da volta não é o mesmo do da ida, se quem volta, volta outro.

“Ninguém entra em um mesmo rio uma segunda vez, pois quando isso acontece, já não se é o mesmo, assim como as águas que já serão outras.”

Você sabe quem disse isso.

 

+++

 

Não, o Governador não se desculpou, nem seu secretário. Ficamos por isso mesmo.

Dar de migué é a tática preferida de muitos brasileiros.

No fundo, somos todos um pouco caipira e muito mineiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: