Cruzeiro para provar que a Terra é plana

Cruzeiro para provar que a Terra é plana

Marcelo Rubens Paiva

13 de janeiro de 2019 | 12h08

Pessoas que acreditam que a Terra é plana e vivemos num disco cercado por um muro de gelo não são nerds fãs de Game of Thrones (do muro acima), mas cientistas, os terraplanistas, que organizam um cruzeiro para zarpar em 2020.

Querem chegar até o muro e provar a sua existência.

Parece a mais fake das news, até porque a navegação só se desenvolveu quando se descobriu que a Terra é redonda, como astros que nos cercam. Foi possível através de astrolábios e cartas náuticas cruzar oceanos, “desvendar” continentes, um mundo novo.

Mas não é. O grupo chamado FEIC (que dito em voz alta soa “fake”), Flat Earth International Conference, existe.

Talvez no encontro de 2019 em novembro em Dallas surjam mais detalhes (inscrições já estão abertas).

Mas, espera?

O problema é como o capitão usará sistemas de navegação alimentados pela rede de 24 satélites em órbita da Terra (redonda), que formam o GPS (Global Position System)? Ele pode fingir que a Terra é redonda?

Os dados do GPS só são possíveis por conta de cálculos da posição de um alvo através da curvatura do planeta.

FEIC afirma que descobriu que a Terra é um disco cercado por um muro, não redonda, depois de uma série de análises, pesquisas e cálculos.

No encontro de 2018, apresentaram:

  1. A Terra gira a 1.040 milhas por hora enquanto viaja ao redor do sol a 66.000 milhas por hora;
  2. Enquanto isso, todo o sistema solar se move através da Via Láctea a 490.000 milhas por hora;
  3. Como a galáxia Via Láctea flui através do espaço infinito a mais de 1 milhão de milhas por hora?

Afirmam que não cairemos na borda da Terra, um disco circular, por conta de paredes e barreiras de gelo, com a Antártida.

Acham que a NASA mente, toma liberdades criativas com seus impostos e produz materiais enganosos.

Mais informações, procure Robbie Davidson da Kryptoz Medial: robbied@gmail.com.

Ou pelo telefone: +1 780 9939004

Um dos terraplanistas, que não entra em detalhes sobre o cruzeiro, comparou ao The Guardian, de onde veio a notícia do cruzeiro, a farsa da Terra redonda às mentiras do poderio militar dos dois blocos durante a Guerra Fria.

Numa segunda expedição, poderia tentar encontrar Adão e Eva. E a maldita serpente, que ofereceu a maçã. Será que está viva ainda?

E procurar na Terra Santa a goiabeira de Jesus.