Clonagem pode salvar um casamento?

Clonagem pode salvar um casamento?

Marcelo Rubens Paiva

28 de outubro de 2019 | 11h47

Sabe aquela historinha de final de casamento, que um vira para o outro e diz:

– Estou há anos tentando fazer você mudar, mas não muda nunca!

– Pois, em anos, você mudou demais, e eu queria a pessoa com quem me casei, que você não mudasse.

Talvez dessa premissa Timothy Greenberg teve a ideia para a série cômica Living With Yoursef, que acabou de estrear pela Netflix.

Porém, cuidado: com episódios curtos, de 20 a 25 minutos, e uma trama inteligente e viciante, é capaz que você veja todos de uma vez.

Greenberg era produtor e o principal roteirista de The Daily Show, de Jon Stewart, e com ele ganhou dois EMMYs.

Escalou Paul Rudd para ser Mike, um publicitário de NY que se muda para o subúrbio com a mulher arquiteta que tenta engravidar, Aisilin Bea, uma comediante irlandesa, ou Kate.

Ele está em baixa no trabalho, desanimado, e sonhava mesmo em fazer roteiro de cinema. Não tem ideias para um pitch crucial da agência.

Ouve falar de uma clínica que melhora a autoestima das pessoas e, com isso, a performance profissional. Está para desistir, mas vê Tom Brady, o maior quarterback do futebol americano, saindo dela renovado.

Mike sai de lá também renovado, faz a campanha do ano, seduz a mulher novamente, fica eufórico com a vida… Até descobrir que foi clonado.

E, pior, o clone está vivo.

A quantidade de conflitos e dilemas que ela gera é imensa. E, para se tornar mais atraente, o mesmo dia é narrado sob diferentes pontos de vistas, por diferentes personagens.

Acesse, se puder acordar tarde no dia seguinte. Prende.