Clássico é clássico

Clássico é clássico

Marcelo Rubens Paiva

26 Setembro 2018 | 09h27

O futebol tem alguns jargões que geram metáforas que muitas vezes são utilizadas… fora dos gramados (eu ia escrever “na vida real”).

Jogo é jogo, treino é treino, é das mais conhecidas, para descrever situações que não seguiram o roteiro do planejamento.

Outra: clássico é clássico.

Claro que clássico é clássico. Então, porque reafirmar que um clássico é um clássico.

Porque num jogo entre dois grandes rivais, nem sempre o melhor vence, não há favorito, elementos externos (caldeirão, torcida única) pouco interferem: a partida é tomada pelo emocional de uma guerra, ou disputa, entre dois adversários históricos.

Como teorizou o filósofo René Girard, na rivalidade é que nos enxergamos; o desejo é mimético, é copiado a partir de um outro e não de forma autônoma.

No sábado, 29 de setembro, celebrando os dez anos de sua fundação, o Museu do Futebol, dos mais visitados do país, abre a mostra temporária com o tema Clássico é Clássico e Vice-versa.

A emoção da torcida, a imprevisibilidade, mobilizam cidades.

O espetacular vídeo de 1984 do então videomaker Tadeu Jungle, que mostra o clima do pré-jogo entre São Paulo e Corinthians na Rua Jorge João Saad, arredores do Morumbi, vira uma instalação inédita, Majestosa, a Rua do Clássico.

O visitante pode entrar no Pacaembu pelo túnel dos jogadores.

O canto das torcidas ajuda a recriar o clima de um clássico.

Lances históricos e recentes de jogos clássicos de todo Brasil serão exibidos num vídeo com roteiro do santista José Roberto Torero e direção do tricolor Jungle.

Serão exibidas peças históricas de colecionadores, clubes, torcidas e torcedores, além de itens de uso cotidiano e doméstico.

Para Eric Klug, diretor-executivo do IDBrasil, responsável pela gestão do museu, rivalidade é também um reconhecimento de grandeza do outro: “A exposição Clássico é Clássico tem a preocupação de nunca mostrar um time sem dar espaço a seu adversário. Assim como acontece na ficção, a riqueza das histórias dos times brasileiros também reside em seus antagonistas”,

Período: 29/09/2018 a 03/02/2019

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP