Casa de praia não é local de quarentena

Marcelo Rubens Paiva

20 de março de 2020 | 11h44

Resultado de imagem para SABU BARRA DO UNA

Caiçaras pedem para veranistas não viajarem

Muitos pensaram em sair de São Paulo e ir para a casa de praia da família ou uma pousada. Eu pensei. Seria bom para um isolamento saudável e ocupar a molecada.

Desistimos, pois os locais já têm problemas de sobra para receber visitas e vetores, portadores do vírus, lixo e nossos problemas.

Fizemos bem.

A SABU (Sociedade Amigos de Barra do Una), uma das entidades mais ativas e conscientes do Litoral Norte de SP, soltou uma nota a seus associados, que têm casa numa das praias mais preservadas e organizadas da região.

Primeiro, que lá a recomendação é evitarem as praias. Estão fechando hotéis, pousadas, bares, marinas. Ficam abertas as vendas, farmácias e supermercados para os próprios moradores.

Lembram que o hospital mais próximo fica a 60 quilômetros, e não tem leitos nem médicos para futuros atendimentos. Ou seja, servem aos locais, em torno de 85 mil habitantes.

Não tem medicamentos para todos.

Segundo a nota, tem cidades que pedem para as pessoas saírem das praias.

A própria sociedade de amigos vai dar licença a seus 14 funcionários.

De fato, eles têm toda razão:

Amigos e Associados. PREVENÇÃO É TER CONSCIÊNCIA.

Todos enfrentando um inimigo oculto e sem saber exatamente como fazer para combatê-lo. Mas uma coisa é certa. CONTATO COM PESSOAS E OBJETOS é o principal transmissor da doença. Resolveu vir passar a quarentena em Barra do Una ou outro bairro do litoral? Ok. É Seu direito. Mas vamos parar para pensar:

Não estamos em férias… Estamos em quarentena. Vai fazer a quarentena em sua casa de praia?  Quem disse que sua casa de praia já não está contaminada com o vírus? De que maneira isso pode ocorrer? De todas as maneiras: seu (s) funcionário(s) normalmente trabalha(m) em outras casas além de ter família e amigos. Para ele sair de casa ou pegou um ônibus, ou veio com a bicicleta comunitária de sua família, ou veio de moto ou de carona… Veio a pé, mas deu a mão para seus amigos no caminho? Saiu de casa todo desinfetado? Entrou em sua casa e se desinfetou? Para entrar em sua casa ele colocou a mão na maçaneta, pegou em objetos vários incluindo móveis, usou seu banheiro, usou seu copo para tomar água, etc, etc, etc. O vírus pode estar lá.

Você para sair de sua casa fará as mesmas coisas, vai fazer compras no supermercado, padaria, parou para encher o tanque no posto de gasolina, foi ao banheiro, parou na estrada para comprar frutas, parou para tomar um café, etc. Chegou em sua casa de praia e tudo começa novamente.

São Sebastião tem SOMENTE 1 hospital situado a 60 km de distância de nosso bairro. Quantos leitos tem? Pouquíssimos. Quantos médicos tem? Pouquíssimos. Além do que não consegue dar conta de atender aos munícipes que são 85.000 pessoas que dirá aos turistas. Posto de Saúde com estoque de medicamentos que não sabemos se estão preparados para os primeiros atendimentos deste NOVO VÍRUS.

Podemos ficar falando e discutindo se devem ou não sair de suas casas e vir ao litoral, mas uma coisa é certa. HOJE NENHUM LUGAR É MAIS SEGURO DO QUE EM SUAS PRINCIPAIS CASAS, OU SEJA ONDE VOCÊS MORAM. No litoral, temos orientação de que NÃO devemos ir à praia. Não devemos sair de nossas casas. Outras cidades litorâneas já estão retirando frequentadores da areia. Em São Sebastião estão iniciando esta ação. São 14 praias só na Costa Sul. Outras cidades estão tomando atitudes mais drásticas. O mundo está fechando e parando. Barra do Una é pequena e não comporta as casas cheias de pessoas tentando fugir do vírus que pode vir junto com elas. Haja vista a temporada onde milhares de pessoas vem para Una e nos deixam o lixo todo além de tanto transtorno. Agora é vez de pensarmos mais na a saúde e menos no lixo.

Raou Cardinali Jr

Presidente Sabu