Brasileiro, o estúpido

Brasileiro, o estúpido

Marcelo Rubens Paiva

28 de março de 2014 | 12h06

Pesquisa do Sistema de Indicadores de Percepção Social do Ipea projeta:

1. São praticados 527 mil estupros por ano no Brasil.

2. Mais da metade das vítimas, menores de 13 anos.

3. 15% dos estupros foram praticados por mais de 2 agressores, indício de estupros coletivos, como os vistos na Índia.

A pesquisa sobre violência contra as mulheres entrevistou 3.810 pessoas em todos os Estados. As mulheres representaram 66,5% do universo de entrevistados.

65% concordaram que a mulher que usa roupa que mostra o corpo merece ser atacada; 42,7% concordaram totalmente, e 22,4%, parcialmente.

Diante da frase “se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros”, 35,3% disseram sim e 23,2% afirmaram concordar parcialmente.

Para os pesquisadores, os dados revelam que “os homens não conseguem controlar seus apetites sexuais; então, as mulheres que provocam, e deveriam saber se comportar, não os estupradores”.

Já em casa, a relação é outra. Diante da frase “homem que bate na esposa tem que ir para a cadeia”, 91% concordam.

85% entendem que o casal deve se separar se houver violência.

82% discordam da frase “A mulher que apanha em casa deve ficar quieta para não prejudicar os filhos”.

Para 82%, “O que acontece com o casal em casa não interessa aos outros”.

Esta contradição entre o que acontece dentro de quatro paredes (privado) e o público mostra a dupla face do brasileiro.

Um povo cordial que não se controla e é bombardeado pelo estereótipo de sociedade feliz, sexualmente avançada e hedonista.

A jornalista Bia Abramo reflete nossa indignação:

Feminismo para quê? Por causa de números como esses, por exemplo:

* 58% dos entrevistados dizem concordar “totalmente” com a afirmação de que ela só é vítima de agressão por não se comportar de maneira adequada.

* 82% dos entrevistados, o que acontece com o casal em casa não interessa aos outros”

* 64% dos entrevistados dizem que “os homens devem ser a cabeça do lar”

* 79% afirmam que “toda mulher sonha em casar”

* 60% concordam que “uma mulher só se sente realizada quando têm filhos”

Nessas horas, nenhum orgulho de ser brasileiro.

 

+++

 

Se a palavra de ordem é o fim do assédio em transporte coletivo [mais 2 foram presos ontem no Metrô suspeitos de molestar sexualmente passageiros; 1 deles foi uma travesti que apalpou um homem num vagão na Estação Sé], se ao todo no ano já foram 27 presos, e se volta o debate da criação de vagões exclusivos para as mulheres, contrariando os próprios movimentos feministas, aqui vão mais sugestões de traquitanas anti-abuso.

 

Minha amiga Angela Dip sem querer contribuiu

 

 

Esse vem da China

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.