Boato da compra do Twitter pelo Facebook causa revolta

Boato da compra do Twitter pelo Facebook causa revolta

Marcelo Rubens Paiva

18 Abril 2018 | 17h23

 

O moral do Facebook está tão baixo, que um boato espalhado de que estaria comprando o Twitter causou revolta.

No Twitter.

E virou o assunto mais comentado do dia.

Com mais memes.

@seoking92 chegou a escrever: “Quer apostar que a primeira mudança vai ser tirar o limite de caracteres e colocar as lembranças! Já tô até vendo ‘1 ano atrás você passou essa vergonha aqui olha’ Mark Zuckerberg é sádico! ALGUÉM SALVA A GENTE DOS FACEBOOKERS POR FAVOR!”

Calma. É mentira.

Para seus usuários, a rede que impõe limite de caracteres goza de uma certa liberdade e está livre dos “textões”, stories e debates intermináveis entre amigos.

@rodsants resumiu: “vei o twitter é a rede social perfeita: sem textão; sem parente p encher o saco; eu q mando na porra do meu tt e ngm opina; sem Stories; sigo só nego q eu curto”.

Na era da polarização política, as ambições de Mark Zuckerberg, a ganância insaciável, que jogou nos tribunais a reputação da maior rede de todas, tem levado muita gente ha ter distância do Facebook.

O Face comprou o Insta em 2012 (pela bagatela de US$ 1 bi), o WhatsApp em 2014 (por US$ 19 bi) e muito mais.

E o que não consegue comprar, copia.

Ameaça levar o Tinder para dentro da sua plataforma, depois da maior rede de relacionamentos recusar uma oferta bilionária.

Mas o Twiter continua independente.

“Ninguém tentou seriamente comprar a empresa ainda. Uma teoria é que os potenciais compradores esperavam que o Twitter ficasse mais barato. Certamente não há pressa para conseguir uma oferta, enquanto as ações da TWTR se alternarem [em altas e baixas], e as outras empresas de tecnologia continuam a crescer”, escreveu Ian Bezek, do InvestorPlace.