BICHANO

BICHANO

Marcelo Rubens Paiva

06 de abril de 2010 | 01h33

FRANCISCO E SEU BICHANO

FRANCISCO E SEU BICHANO

Meu amigo KIRK SEMPLE, repórter do NEW YORK TIMES, publicou uma grande matéria que causou muita repercussão, sobre um garoto de 13 anos, Francisco Hernandez Jr, que tem Autismo de Asperger e ficou 11 dias perdido no metrô de Nova York, com dez dólares no bolso.

Tirou a bateria do celular, pois não queria que ninguém o rastreasse.

Ele desapareceu depois de fugir da escola no Brooklyn.

Sua mãe chegou a espalhar cartazes procurando ajuda. Chamou a polícia.

Ele passou os 11 dias entre trens e estações, sem que a polícia o encontrasse. Mais um caso de racismo disfarçado, já que um imigrante filho de mexicanos não a mobilizou tanto assim.

Francisco conta que sua odisseia girou em torno de 3 linhas do metrô: D, F e N. 1. Pegava o trem até a última estação e voltava. Comeu comida das máquinas das estações: batata frita, croissants, jelly rolls. Usava o banheiro de uma estação de Coney Island.

 

Leia a matéria na íntegra: http://www.nytimes.com/2009/11/24/nyregion/24runaway.html?_r=1

 

Mas o que chocou KIRK foi que uma leitora do NYT, indignada, depois de ver a foto da matéria, enviou uma carta reclamando que o jornal tem a mania de desprezar os nomes dos animais de estimação que aparecem nas fotos, que deveriam vir na legenda também.

Mais ainda. Enviou ao jornal uma caixa de presentes para o gato de Francisco Hernandes.

Caixa que KIRK entregou para a família, sem abri-la.

Pensa que é fácil a vida de jornalista?

 

EU E KIRK NA REDAÇÃO DO NYT, A NAVE MÃE

EU E KIRK NA REDAÇÃO DO NYT, A NAVE MÃE

+++

 

Cada temporada no Rio, me surpreende a lexicologia dos cariocas, apesar de eu ter morado até os 12 anos na cidade.

Italiano fala como se lê. O russo também.

Francês come muitas letras ou, dependendo da frase, muda.

Americano fala como se mascasse chiclete.

Acho que o carioca é o único povo que inclui letras onde não tem.

 

mesmo = meismo

festa = feista

doze = douze

churrasco = churraisco

 

Agora, no feriado lá, ouvi das comissárias de bordo, assim que pousamos no Santos Dumont: “Boa paiscua.” Que charme louco…

 

+++

 

Nota da FRANCE PRESSE:

 

Ter, 30 Mar, 08h33

BUENOS AIRES (AFP) – “Um homem preso por acusações de abuso sexual e roubo contra duas mulheres na Argentina tentou acender um cigarro de maconha durante uma audiência. Os juízes determinaram que ele passasse por perícia psiquiátrica, informou nesta terça-feira uma fonte judicial.

O incidente ocorreu no tribunal da cidade de Chepes, província de La Rioja, onde Marcelo Paiva Bolado surpreendeu os juízes, o procurador e o advogado de defesa quando em meio à sessão tirou o cigarro de maconha do bolso e o levou à boca. Imediatamente, os juízes suspenderam a audiência e ordenaram uma perícia psiquiátrica e a abertura de uma investigação para determinar como o cigarro de maconha chegou às mãos do homem, que estava preso. O acusado, detido há mais de seis meses, admitiu diante da Justiça ser viciado em cocaína e maconha.

Agora, a psiquiatria deverá decidir se o réu está em condições de ser julgado.”

 Olha, há mais de 15 anos não apareço por aquelas terras.

Sou eu não, excelência.