a luta continua

a luta continua

Marcelo Rubens Paiva

27 de dezembro de 2013 | 12h35

 

A essa altura você já deve saber que Haddad sancionou o Parque Augusta, área de 25 mil metros quadrados com resquícios de Mata Atlântica no centro de São Paulo.

Dinheiro para comprá-lo tem no orçamento.

O estacionamento que funciona lá fica até o dia 01 de janeiro. Depois desta data, os portões serão trancados e o estacionamento não mais funcionará.

A programação do Parque, mantida por grupos de trabalhos auto geridos, discutidos em assembleia, continua.

 

 

Novos aliados apareceram para sugerir a criação de outros parques, como em Pinheiros, num terreno também com mata da João Moura, na Mooca, e em áreas públicas, como na Chácara do Jockey.

São 43 áreas de interesse ambiental em SP.

O Movimento Mooca Verde luta pela construção de um parque no bairro: “A criação de um PARQUE PÚBLICO no terreno localizado entre as Ruas Barão de Monte Santo e Av. Dianópolis no bairro da MOOCA, São Paulo, também conhecido como ‘antigo terreno da ESSO’ uma vez que o bairro é extremamente carente de áreas verdes e de espaços públicos de lazer. O Parque é uma reivindicação antiga da comunidade e que o Movimento Mooca Verde não quer que seja esquecida. O Movimento Mooca Verde luta para que a Mooca se desenvolva de forma sustentável pensando em melhorar a qualidade de vida de seus moradores hoje e para as próximas gerações.”

 

 

O que se vê na maciça adesão ao movimento Parque Augusta Já é um cansaço dos paulistanos com o que se tem feito na cidade.

Bairros perdem casarões antigos e sua essência, torres são erguidas indiscriminadamente e sem avaliação de impacto ambiental e, especialmente, no trânsito.

E falta espaço para circular e respirar.

A Prefeitura, até então gerada por uma gangue de fiscais corruptos, não tomou a frente da luta pela defesa da qualidade de vida da cidade.

O povo arregaçou as mangas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: