A Ditadura Acabada

A Ditadura Acabada

Marcelo Rubens Paiva

02 de maio de 2016 | 11h55

Box_Gaspari-903x1024

 

O jornalista Elio Gaspari teve trânsito livre entre os principais personagens [e arquivos] da ditadura militar, o bruxo general Golbery do Couto e Silva, golpista profissional e criador do SNI, e o “pastor alemão” Ernesto Geisel, general responsável pela abertura política.

O resultado você conhece: quatro volumes incríveis detalhados sobre a ditadura militar lançados pela Companhia das Letras entre 2002 e 2004, “A Ditadura Envergonhada”, “A Ditadura Escancarada”, “A Ditadura Derrotada” e “A Ditadura Encurralada”, agora publicados pela Intrínseca.

Vire e mexe, me vejo relendo-os, especialmente o primeiro volume.

Que aliás é mais atual do que nunca: vê-se ali, no Golpe de 64, eventos semelhantes aos dias de hoje, o comportamento da imprensa, de juristas, da Justiça, as rebeliões do Poder e a traição de aliados.

Para mim, “A Ditadura Envergonhada” deveria ser leitura obrigatória nas escolas.

E quem sabe nos livraríamos das aberrações de análises políticas que lemos e escutamos de uma geração desinformada, que aprende história de 140 caracteres em 140 caracteres.

Quando se anunciou que Gaspari preparava um quinto volume, sempre me perguntei qual seria o nome.

Abordaria o governo Figueiredo, o da transição definitiva.

Governo da anistia política, da refundação de partidos, do combate à linha dura, bombas na OAB, bancas de jornais e Rio Centro, refundação do movimento sindical, volta de Brizola, Arraes, Darcy Ribeiro, figuras expulsas do Brasil pelo golpe.

Pensava “O Epílogo da Ditadura”, “O Último Ato”.

Claro, “A Ditadura Encerrada”.

Porém, Gaspari foi mais preciso e, como nos outros livros, haverá divergência.

O livro “A Ditadura Acabada” é o quinto volume da Coleção Ditadura. Já está em pré-venda. E nas livrarias no final do mês.

Alguns dirão que a ditadura nunca acabou [acabou, sim].

Se os volumes anteriores abordaram os conturbados governos Castello Branco, Costa e Silva, Médici e Geisel, este pega o período de 1978 a 1985.

Do final do governo do presidente Ernesto Geisel à posse de sucessor, o general João Baptista Figueiredo, atravessando as Diretas Já e a eleição de Tancredo.

Passa pelo fim do AI-5 e de uma crise econômica sem precedentes [moratória, recessão e inflação alta].

O epílogo é uma surpresa, o capítulo “500 Vidas”.

Gaspari conta o que aconteceu com 500 personagens que sobreviveram ao fim da ditadura, entre militares e militantes, empresários e sindicalistas, torturados e torturadores.

Três deles, um exilado-cassado, um metalúrgico perseguido e uma presa política torturadasadicamente, chegaram à presidência da República, FHC, Lula e Dilma.

A Ditadura Acabada estará disponível em duas versões de e-book, uma delas com áudios e vídeos acrescentados pelo autor, ambas contendo mais de trinta documentos históricos.

Para indicar a amigos e familiares com informações e conclusões esdrúxulas sobre o momento anterior e atual.