a defesa mais espetacular

a defesa mais espetacular

Marcelo Rubens Paiva

24 de maio de 2012 | 17h43

 

 

Zoação à parte.

Vi este lance de frente, in loco!

O gol não feito que poderia matar de enfarte milhões de corintianos.

Alessandro é o último homem de defesa corintiana.

Passa mal a bola, rebate no artilheiro, que entra sozinho no campo corintiano.

O estádio inteiro não acredita no que vê.

Entre Diego Souza e as traves, um goleiro gigante, Cássio.

Ele tem todo o campo para carregar a bola e pensar no que fazer.

Até olha para os lados, porque ele mesmo não acredita que está só.

E a torcida se olhou, entendeu, viu a tragédia iminente: mais uma vez estamos fora.

Segundo tempo, 12′. Se o Vasco fizesse, o Corinthians teria que fazer dois, para passar à tão sonhada semifinal.

Praticamente impossível.

Porém, o único calmo do épico de poucos segundos que durou uma eternidade era a vítima, o goleiro.

Surpreendentemente, ele não se jogou sobre o goleador, não correu para trás, manteve a distância que cobria a visão do gol.

Diego avançava, na mesma velocidade, enquanto Cássio impassível, sempre mantendo a mesma distância do gol.

O atacante não poderia encobrir.

O goleiro com sangue frio não se desconcentrou.

Chutou no canto, o salvador espalmou.

Não foi o gol mais perdido da rodada.

Foi a defesa mais espetacular dela.

Frieza ganha jogo, é o segredo do bom profissional.

Confira:

http://www.foxsports.com.br/videos/1653676095001-libertadores-sozinho-diego-souza-perde-gol-inacreditavel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.