A barbada

A barbada

Marcelo Rubens Paiva

10 de dezembro de 2019 | 13h07

Noah Baumbach fez um catálogo de toda trajetória dramática que é uma separação, ao retratar a própria, com pitadas de Kramer versus Kramer, comovente filme Oscar de 1980, que debatia a triste guarda de um filho.

História de um Casamento está indicado a seis categorias do Globo de Outro, apesar da musa Scarlett Johansson merecer por outros filmes, não por esse.

Vai faturar tudo. Valendo?

Baumbach, de A Lula e a Baleia (2005), Frances Ha (2012), adora crises em casamentos.

Escreveu aquilo que todo casal com filhos sofre ao se separar. Fez um filme simpático, inteligente, que prende, que você não quer que acabe, mesmo desconfiando de que nada acabará bem. De uma guerra declarada sem sentido, em que as partes interessadas são envolvidas na kafkiana burocracia judicial da vida pessoal.

Poderia se chamar A História de Todas as Separações.

Independentemente das injustiças cometidas contra Veep, Euphoria e When They See Us, o Globo de Ouro 2020 aponta o óbvio e revela uma surpresa.

O óbvio: a pioneira HBO continua a despontar como celeiro das melhores séries da televisão.

Agora com a inclusão definitiva da sensacional Succession, com Chernobyl e novamente Big Littles Lies, indicadas a melhor série.

Surpresa: aquela acusada de tirar público dos cinemas, a Netlfix, empresa com mais de 160 milhões de assinaturas, emplacou três melhores filmes de drama, O Irlandês, História de um Casamento e Dois Papas, e um de comédia, Meu Nome é Dolemite.

Três dos cinco indicados a melhor ator coadjuvante são de produções cinematográficas suas, Al Pacino, Joe Pesci e Anthony Hopkins.

Melhor ator (drama e comédia) são três também: Adam Driver, Jonathan Pryce e Eddie Murphy.

Se apenas The Crown se destaca pela qualidade de série drama, a Netflix emplacou três dos cinco indicados a melhor roteiro de filme drama, História de um Casamento, Dois Papas, O Irlandês.

A Netflix liderou o número de indicações ao Globo de Ouro graças aos filmes, especialmente, com toda justeza, a História de um Casamento, Dois Papas e O Irlandês

Outra surpresa. A primeira série da estreante Apple TV +, The Morning Show, já emplacou uma indicação de melhor série.

A ausência de Euphoria é espantosa. Entende-se, já que são críticos votando. Mas a série da HBO, que deslumbrou quem trabalha com isso, hipnotizou o mercado, virou modelo, referência, excepcionalmente bem dirigida, uma espécie de Flamengo comparado ao resto, merecia mais consideração.

Tendências: