As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vocês querem bacalhau?

Luiz Zanin Oricchio

02 de maio de 2009 | 09h42

Não quero, por enquanto, entrar no mérito de Alô, Alô, Terezinha, documentário de Nelson Hoineff sobre Abelardo “Chacrinha” Barbosa. O que não dá para ignorar é que levantou a galera no Cine Teatro Guararapes, sendo, de longe, o filme mais aplaudido até agora. Hoineff usa muitas cenas dos programas de televisão de Chacrinha. Mas as intercala com entrevistas, em especial de participantes do programa: as chacretes. Elas são vistas no auge e, agora, em sua, digamos assim, maturidade. Que, em geral, nada tem de careta. Muita gente adorou esse contraste debochado. Muita gente elogiou por ser politicamente incorreto. Mas outros acharam desrespeitoso com as ex-moças. É a vida. O documentário é vibrante e, incorpora, em sua linguagem, aquele caos calculado do animador. Não é sobre Chacrinha. Usa Chacrinha como linguagem. E, portanto, não tem papas na língua e pode se permitir a tudo. Ou quase tudo. Quais os limites éticos do documentarista? É o que será discutido. Enquanto isso, a Imovision prepara uma grande distribuição do filme, com cerca de 100 cópias no circuito comercial. Será que dá resultado? Vocês querem bacalhau?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.