Um pequeno milagre paraguaio
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um pequeno milagre paraguaio

Luiz Zanin Oricchio

30 de outubro de 2006 | 13h00

hamaca

Há um filme que não se deve perder – Hamaca Paraguaya, de Paz Encina, algo de novo e surpreendente no panorama do cinema. Esse filme, tão belo como estranho, põe em cena um casal idoso e seu assunto recorrente – o filho que foi para a guerra contra a Bolívia. Nesse longo diálogo entre os dois personagens, focalizados quase sempre de longe, há a comoção do homem (e da mulher) simples diante da força do destino. Aquele mesmo destino que levou o rapaz e não se sabe se irá trazê-lo de volta. O próprio filho, quando “entra em cena”, só o faz por meio da voz. Todo o resto é um cenário quase único, em que o casal dialoga, sentado numa rede, enquanto uma tempestade se prepara e o sol vai caindo, trazendo a noite ameaçadora. O filme passa hoje, às 20h10, no Arteplex 3, e é uma das obras cinematográficas mais comoventes que vi nos últimos tempos. A surpresa maior: a diretora Paz Encina é uma estreante. Fiquei pasmo com sua maturidade artística.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.