As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O polêmico Baixio das Bestas vence em Brasília

Luiz Zanin Oricchio

29 Novembro 2006 | 01h37

Meus caros e caras, estou chegando agora do Teatro Nacional, onde aconteceu a premiação do 39º Festival de Brasília. Entre vaias e aplausos da platéia, ganhou Baixio das Bestas, de Claudio Assis, que era de fato o filme mais ousado, mas também o mais polêmico entre os favoritos. No todo, a premiação, que você pode conferir abaixo, me satisfez, embora eu reconheça nela uma série de erros técnicos, explicáveis porque houve muita briga dentro do júri para que os prêmios se acomodassem. Depois comento melhor, porque agora estou exausto e vou dormir. Transcrevo a lista completa dos prêmios, inclusive com a grana que cada um recebe junto com o troféu. Abraços.

PRÊMIOS OFICIAIS – TROFÉU CANDANGO

Longa-metragem em 35mm

Melhor Filme (Júri Oficial) –R$ 80.000,00
Filme: Baixio das Bestas, de Cláudio Assis

Melhor Direção – R$ 20.000,00
Helvécio Ratton, por Batismo de Sangue

Melhor Ator –R$ 10.000,00
Maxwell Nascimento, por Querô

Melhor Atriz – R$ 10.000,00
Mariah Teixeira, por Baixio das Bestas

Melhor Ator Coadjuvante –R$ 5.000,00
Irandhir Santos, por Baixio das Bestas

Melhor Atriz Coadjuvante –R$ 5.000,00
Dira Paes, por Baixio das Bestas

Melhor Roteiro –R$ 10.000,00
Carlos Cortez, com a colaboração de Bráulio Mantovani e Luiz Bolognesi, por Querô

Melhor Fotografia –R$ 10.000,00
Lauro Escorel, por Batismo de Sangue

Melhor Direção de Arte –R$ 10.000,00
Fred Pinto, por Querô

Melhor Trilha Sonora –R$ 10.000,00
Pupillo, por Baixio das Bestas

Melhor Som –R$ 10.000,00
E ainda Prêmio Dolby: consiste na licença para usar o sistema de som Dolby (equivalente a 4 mil dólares)
Louis Robin, por Querô

Melhor Montagem – R$ 10.000,00
Renato Martins e Vladimir Carvalho, por O Engenho de Zé Lins

Prêmio Especial do Júri:
O Engenho de Zé Lins, de Vladimir Carvalho

CURTA OU MÉDIA-METRAGEM EM 35MM

Melhor Filme (Júri Oficial) – R$ 20.000,00
e ainda Prêmio Ctav (uma cópia 35mm)
Filme: Trecho, de Clarissa Campolina e Helvécio Marins Jr.

Melhor Direção –R$ 10.000,00
Anna Azevedo, por O Homem-Livro

Melhor Ator –R$ 5.000,00
Leonardo Medeiros, por A Vida ao Lado

Melhor Atriz – R$ 5.000,00
Bohdana Smyrnova, por Noite de Sexta, Manhã de Sábado

Melhor Roteiro – R$ 5.000,00
André Carvalheira, por Dia de Folga

Melhor Fotografia – R$ 5.000,00
Pablo Lobato, por Trecho

Melhor Montagem – R$ 5.000,00
Karen Harley e Clarissa Campolina, por Trecho

CURTA-METRAGEM EM 16MM

Melhor Filme (Júri Oficial) – R$ 15.000,00
e ainda Prêmio CtaV (5 latas de negativo/cor)
Filme: Terra Prometida, de Guilherme CastroMelhor

Direção –R$ 10.000,00
Filipe Gontijo E Eric Aben-Athar, pelo filme A Volta do Candango

Melhor Ator – R$ 5.000,00
Gê Martu, pelo filme Borralho

Melhor Atriz –R$ 5.000,00
Sarah Vasconcelos, pelo filme Uma Vida e Outra

Melhor Roteiro –R$ 5.000,00
Santiago Dellape, pelo filme Nada Consta

Melhor Fotografia – R$ 5.000,00
Andre Benigno, pelo filme Borralho

Melhor Montagem – R$ 5.000,00
Marcius Barbieri, pelo Filme Vestígios

PRÊMIO JÚRI POPULAR

Melhor longa-metragem em 35mm –R$ 30.000,00
Filme: Encontro com Milton Santos ou O Mundo Global Visto do Lado de Cá, de Sílvio Tendler

Melhor curta-metragem em 35mm –R$ 20.000,00
e ainda Prêmio Ctav (Uma cópia 35mm)
Filme: O Homem-Livro, de Anna Azevedo

OUTROS PRÊMIOS

PRÊMIO CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL
Exclusivo para produções do Distrito Federal

o Melhor longa-metragem em 35mm R$ 50.000,00
E ainda Prêmio Quanta (R$ 10.000,00 em equipamentos de iluminação e maquinaria)
Filme: O Engenho de Zé Lins, de Vladimir Carvalho
Melhor média ou curta-metragem em 35mm R$ 10.000,00
E ainda Prêmio Quanta (R$ 8.000,00 em equipamentos de iluminação e maquinaria)
Filme: Oficina Perdiz, de Marcelo Díaz
Melhor filme em 16mm R$ 5.000,00
E ainda Prêmio Quanta (R$ 4.000,00 em equipamentos de iluminação e maquinaria)
Filme: Borralho, de Arturo Sabóia e Paulo Eduardo Barbosa
Menção Honrosa
Ao filme Dia de Folga, de André Carvalheira, “pelo excelente trabalho de direção”.

PRÊMIO AQUISIÇÃO CANAL BRASIL

Incentivo ao Curta Metragem
Cessão de dois prêmios, no valor de R$ 5.000,00 cada, a dois curtas 35mm, selecionados pelo júri Canal Brasil

Filme: Noite de Sexta Manhã de Sábado, de Kleber Mendonça Filho
Filme: O Homem-Livro, de Anna Azevedo

PRÊMIO MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES
Conferido pelo Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro para o filme que melhor utilizar material de pesquisa cinematográfica brasileira.

Filme: Pixinguinha e a Velha Guarda do Samba, de Thomaz Farkas e Ricardo Dias

Pelo excelente trabalho de resgate e recuperação de imagens inéditas rodadas há mais de cinqüenta anos.

PRÊMIO SARUÊ
Conferido pela Equipe de Cultura do Correio Braziliense
O Troféu Saruê, criado pelo artista plástico Galeno, foi instituído com o intuito de homenagear o momento de maior destaque durante o Festival, na visão dos profissionais do Correio Braziliense que trabalharam na cobertura. Este ano, a votação foi apertada. Basta dizer que, em segundo lugar, com quatro votos, ficou a atuação de Caio Blat, destaque em dois longas da mostra competitiva em 35mm – Batismo de sangue e Baixio das bestas. O mais votado, no entanto, foi o autor de um curta, considerado uma preciosidade no festival. Pelo resgate de um registro único na história da música popular brasileira, revelado em Pixinguinha e a velha guarda do samba, Thomaz Farkas é o vencedor do Troféu Saruê deste ano.

PRÊMIO DA CRÍTICA – TROFÉU CANDANGO
o Melhor longa 35mm
Pelo mergulho contundente no processo de degradação moral e social de um Brasil de excluídos, pelo rigor formal e pela entrega visceral do elenco, a Crítica confere o prêmio de Melhor Filme a Baixio das Bestas, de Cláudio Assis.
o Melhor Curta em 35mm
e ainda Prêmio Ctav (uma cópia 35mm)

Pela originalidade da trama, força dramática e uso expressivo e singelo do som e da imagem na construção narrativa, o prêmio da Crítica na categoria de curta-metragem 35mm vai para o filme Noite de Sexta Manhã de Sábado, de Kleber Mendonça Filho.

PRÊMIO CONTERRÂNEOS
O troféu Conterrâneos é um prêmio conferido bienalmente pela Fundação Cinememória, de Brasília, destinado ao melhor documentário em competição no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Este ano o seu júri foi composto pela professora e documentarista Dácia Ibiapina e pelos cineastas Marcos de Souza Mendes e Vladimir Carvalho, presidente da Cinememória.

O Júri considerou o inestimável valor cultural do filme escolhido e a perseverante fé de seus autores na preservação e conservação de nossa memória audiovisual e o troféu vai para Pixinguinha e a Velha Guarda do Samba, de Thomaz Farkas e Ricardo Dias.