As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Timbuktu e documentário sobre Sebastião Salgado vencem o César

Luiz Zanin Oricchio

20 de fevereiro de 2015 | 23h16

Timbuktu, da Mauritânia, foi o grande vencedor do César, prêmio que, de maneira meio colonizada, é definido às vezes como o “Oscar francês”. Seja. De qualquer forma, o filme, em cartaz no Brasil, e que fala das agruras de uma cidade ocupada por radicais islâmicos, venceu sete troféus. Além de melhor filme, venceu o de direção e roteiro.

O Sal da Terra, sobre a vida do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, ganhou o César de melhor documentário.

Cabe lembrar que neste domingo ambos disputam também o Oscar propriamente dito, em suas respectivas categorias – documentário e filme estrangeiro.

 

Prêmios César:

 

Melhor filme
“Timbuktu”

Melhor diretor
Abderrahmane Sissako por “Timbuktu”

Melhor atriz
Adele Haenel por “Love at First Fight”

Melhor atriz coadjuvante
Kristen Stewart por “Acima das nuvens”

Melhor ator
Pierre Niney por “Yves Saint Laurent”

Melhor ator coadjuvante
Reda Kateb por “Hippocrates”

Melhor documentário
“O sal da terra”, por Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado