As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Take final para Dave Brubeck

Luiz Zanin Oricchio

05 de dezembro de 2012 | 17h30

Dave Brubeck morreu hoje, à véspera de completar 92 anos. Nem o sabia vivo, pois havia muito tempo não se falava nele.

Mas quem aprendeu a gostar de jazz em certa época o tinha como referência. Em seu LP (sim, estou falando de LP) Time Out, havia a faixa que o celebrizou, a ele e a seu sax Paul Desmond. Escrita em 5/4, compasso ímpar, provocava uma prazerosa sensação de desequilíbrio rítmico. Puro swing. Assim como Blue Rondo à la Turc, que eu adorava.

Seu disco seguinte foi Time Further Out, em que buscava, vejam só, um diálogo entre a música de jazz e a pintura de Miró. Ponte entre os EUA e a Catalunha, numa “reflexão” musical a respeito do tempo e do improviso. Brilhante. Em caso de dúvida, dê uma conferida aí embaixo. Muito lhe devemos. Salve!

Tudo o que sabemos sobre:

Dave Brubeckjazz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.