As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Serras da Desordem

Luiz Zanin Oricchio

16 de outubro de 2006 | 20h41

O Cinesesc (rua Augusta, 2075) apresentou em sessão especial Serras da Desordem, de Andrea Tonacci. Ela ocorreu como parte da comemoração de primeiro aniversário do ótimo site de cinema cinequanon (visite-o, não vai se arrepender). Serras da Desordem é o filme mais recente de Andrea Tonacci, autor do clássico do cinema marginal Bang Bang. O filme fica tanto entre o documentário e a ficção que coloca em crise a distinção entre os dois. Como bem observou o crítico Carlos Alberto Mattos, neste blog, Serras da Desordem tem, hoje, a mesma importância que Iracema, uma Transa Amazônica (de Orlando Senna e Jorge Bodanzky) teve em seu tempo. É surpreendente e coloca em questão a recepção tanto do espectador comum como da crítica. E, porque coloca em crise gêneros e formas, torna-se indispensável. Não perca quando passar na parte brasileira da Mostra de Cinema. Ele certamente entrará em cartaz no circuito comercial, mas não se sabe quando.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.