As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rodada legal

Luiz Zanin Oricchio

10 de março de 2008 | 20h36

Já devidamente instalado em meu refúgio em meio à Serra do Japi, medito sobre a rodada do Paulistão deste fim de semana. Algumas coisinhas. Fui à Vila Belmiro no domingo e novamente vi o Santos fazer um bom primeiro tempo e cair muito no segundo. Falta de preparo físico? Pode ser. No entanto, já se vê um padrão de jogo, um esboço dele, pelo menos. E, justamente quando a maionese começa a dar ponto, o clube vende Rodrigo Souto, o único remanescente daquele ótimo meio-campo do ano passado, que ele compunha com Maldonado, Cléber Santana e Zé Roberto. Agora estão todos no exterior.

O Palmeiras deu a virada mais espetacular do campeonato, mostrando que o time de Luxa está dando liga. Perdia de 2 a 0, teve Marcos expulso e virou para 5 a 2, em jogo polêmico, de expulsões e trapalhadas da arbitragem.

Que também não faltaram aos 2 a 0 do Corinthians sobre o líder Guará. Com direito a gol mal anulado e jogador que levou dois cartões amarelos e permaneceu em campo. Com Dentinho, o Coringão mostra que não é só defesa. Ou foi um jogo isolado?

No jogo do sábado, a Portuguesa deu um cala-boca na frase malcriada de Juvenal Juvêncio e derrotou o São Paulo por 2 a 0. Muricy disse que o time está cansado. Pode ser. O tricolor não vem repetindo a mesma performance do ano passado. E podia passar sem a declaração desastrada do seu presidente, que disse da Portuguesa que time que tinha torcida pequena nunca seria grande. Pode até ser verdade, mas é pouco cortês dizer. E pouco inteligente fazê-lo antes do jogo, quando o insulto pode ser usado como motivação do adversário. É como se diz: quem fala muito dá bom dia a cavalo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.