As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Risi e o riso

Luiz Zanin Oricchio

31 de julho de 2007 | 19h21

Melhor rir, não é? Entrei no site do Corriere della Sera para dar uma olhada nas matérias sobre a morte de Antonioni. Como fazem os jornais de todo o mundo, o Corriere também providenciou a sua repercussão. Foram ouvir o cineasta Dino Risi, impávido em seus 91 anos. Risi disse logo de entrada que ele mesmo pode morrer de um dia para outro. “Mas, depois de Bergman e Antonioni, acho melhor esperar um pouco, senão a minha morte ganharia cantinho de página nos jornais e seria divulgada nas TVs depois do noticiário esportivo”, disse.

De Antonioni, falou que seu cinema “era muito bom, mas um pouco chato”. Eram amigos pessoais e, quando se encontravam, preferiam conversar sobre mulheres do que sobre estética cinematográfica. Risi não esconde que deu “uma bela dormida” durante a projeção de A Noite. Aliás, o personagem de Vittorio Gassman no filme mais famoso de Dino Risi, Il Sorpasso (Aquele que Sabe Viver), a certa hora pergunta ao seu amigo mais jovem, vivido por Jean Louis Trintgnant: “Você viu O Eclipse? Eu dormi. Grande diretor, o Antonioni!”.

Dino garante que Antonioni se divertia muito com esse diálogo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.