As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Revendo Cão sem Dono

Luiz Zanin Oricchio

29 de abril de 2007 | 09h25

RECIFE – Cão sem Dono, dirigido por Beto Brant e Renato Ciasca, foi apresentado ontem no Cine-PE diante de uma platéia de 3 mil pessoas. Agradou em cheio, apesar de ser um filme que quebra expectativas do público. Seco, despojado, cheio de planos fixos e longos, segue a relação amorosa de dois jovens, Ciro e Marcela (Julio Andrade e Tainá Muller). Gostei de rever e me pareceu ainda melhor do que da primeira vez. Fiquei acompanhando a história e me surpreendi pensando: como pode ser comovente o amor de gente moça, esse amor tão intenso e dilacerado de Ciro e Marcela. É filme muito tocante, inclusive porque não se deixa levar pelos efeitos fáceis de música e palavras retóricas. Nos dá um nó na garganta tocando naquele registro que os espanhóis costumam classificar de “a palo seco”. Sem acompanhamentos musicais desnecessários.

Ganha o festival? Isso eu não sei. Mas suspeito que os prêmios principais ficarão entre Cão sem Dono e Não por Acaso, de Philippe Barcinski. Talvez sobrem alguns troféus para outros candidatos, pois afinal têm qualidade. Mas isso quem dirá é o júri, na noite de premiação que acontece hoje no Cine Teatro Guararapes, em Olinda. Pela primeira vez haverá transmissão direta da cerimônia, a partir de 19h45, pelo Canal Brasil. Este seu amigo fará os comentários ao lado da apresentadora Simone Zucolotto. Estão convidados a assistir. Abraços e bom domingo a todos.