As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Prêmio Fênix contempla A Jaula de Ouro e dá troféu a Leandra Leal

Luiz Zanin Oricchio

31 de outubro de 2014 | 21h30

O Fênix quer ser o “Oscar” ibero-americano e distribuiu seus prêmios ontem na Cidade do México. Alguns colegas brasileiros e eu fizemos parte do colégio eleitoral. Destaco, além do prêmio da Leandra Leal em O Lobo Atrás da Porta, o reconhecimento de José Carlos Avelar por seu trabalho crítico. Um viva para um prêmio que destaca o trabalho dos críticos e os coloca como partes importantes do processo cinematográfico.

 

Longa-Metragem de Ficção: La Jaula de Oro, de Diego Quemada-Diez (México)
Documentário: Sobre la Marxa, de Jordi Morató (Espanha)
Realizador: Amat Escalante, Heli (México)
Ator: Viggo Mortensen, Jauja (Argentina)
Atriz: Leandra Leal, O Lobo Atrás da Porta (Brasil)
Argumento: Heli, Amat Escalante e Gabriel Reyes (México)
Fotografia: El Ardor, Julián Apezteguia (Argentina/Brasil)
Música Original: Las Brujas de Zugarramurdi, Joan Valent (Espanha)
Montagem: La Jaula de Oro, Felipe Gómez e Paloma López Carrillo (México)
Guarda-Roupa: Tatuagem, Chris Garrido (Brasil)
Direcção de Arte: Las Brujas de Zugarramurdi, José Luis Arrizabalaga e Arturo García (Espanha)
Som: La Jaula de Oro, Matías Barberis, Raúl Locatelli, Michelle Couttolenc e Jaime Baksht (México)
Prémio Exhibidores: Eugenio Derbez, No se Aceptan Devoluciones (México)
Fénix al Trabajo Crítico: José Carlos Avellar (Brasil)
Fénix a la Trayectoria: Arturo Ripstein (México)
Fénix de Honor: Festival Internacional del Nuevo Cine Latinoamericano de La Habana (Cuba)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.