O Grande Prêmio do cinema brasileiro
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Grande Prêmio do cinema brasileiro

Luiz Zanin Oricchio

01 de setembro de 2015 | 12h09

Otelo ao fundo, com Reginaldo Faria e Elieser Gomes

Otelo ao fundo, com Reginaldo Faria e Elieser Gomes

RIO – Já estou aqui para mais um Grande Prêmio Brasil de Cinema, que, este ano, terá sua cerimônia de premiação no Cine Odeon. Participo da transmissão do Canal Brasil com os amigos Simone Zuccolotto e Roger Lerina.

O que se pode esperar? Bem, Getúlio, de João Jardim, é o mais indicado, concorrendo a 14 troféus.

Vem seguido de perto por O Lobo Atrás da Porta, de Fernando Coimbra, com 12. Logo atrás, aparecerem Irmã Dulce e Tim Maia, com dez indicações cada.

Se indicações apontam favoritos, estes são os mais prováveis vencedores, entre os filmes brasileiros lançados na safra do ano passado. Um dos problemas do prêmio é justamente esse. Sai muito tarde, quando os filmes do ano a que se refere já foram praticamente esquecidos. Vendo a coisa por outro ângulo, também é uma forma de lembrá-los. Filmes não são, ou não deveriam ser, produtos descartáveis. Mas esta é outra história.

O prêmio criado pela Academia Brasileira de Cinema distribui o Troféu Grande Otelo, justamente quando se comemoram os cem anos de nascimento de Sebastião Prata, o genial Otelo, cômico da dupla com Oscarito, mas também compositor e ator dramático de talento. Com perdão do clichê, mas Otelo era mesmo uma força da natureza.

Otelo, aliás, faz um papel tragicômico em Assalto ao Trem Pagador, de Roberto Farias, o homenageado deste ano. Ele, Otelo, é um ladrão bêbado, integrante do bando que realiza o famoso assalto.

Com este trabalho de 1962, Farias fez o que, para muitos (inclusive para este crítico) é o melhor filme policial brasileiro de todos os tempos. Fez muito mais, claro, inclusive o subestimado Selva Trágica mas, tenho impressão, jamais atingiu o mesmo nível de perfeição e intensidade deste filme, baseado num caso policial verídico. Farias dirigiu comédias, aventuras com Roberto Carlos e lançou um desafio ao regime militar com Prá Frente Brasil, obra de denúncia da tortura e que criou problemas para a Embrafilme, empresa que o próprio Farias dirigiu.

Enfim, é homenagem mais do que justa.

Abaixo, a relação completa dos indicados

FINALISTAS GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO 2015

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO


GETULIO de João Jardim. Produção: João Jardim e Carla Camurati por Copacabana
Filmes

HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO de Daniel Ribeiro. Produção: Daniel Ribeiro e Diana
Almeida por Lacuna Filmes

O LOBO ATRAS DA PORTA de Fernando Coimbra. Produção: Caio Gullane, Fabiano
Gullane, Debora Ivanov e Gabriel Lacerda por Gullane e Rodrigo Castellar e Pablo
Torrecillas por TC Filmes

PRAIA DO FUTURO de Karim Aïnouz. Produção: Geórgia Costa Araújo por Coração da
Selva

TIM MAIA de Mauro Lima. Produção: Rodrigo Teixeira por RT Features

MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO


A FARRA DO CIRCO de Roberto Berliner e Pedro Bronz. Produção: Rodrigo Letier e
Roberto Berliner por TV Zero

BRINCANTE de Walter Carvalho. Produção: Caio Gullane, Fabiano Gullane e Debora
Ivanov por Gullane

DOMINGUINHOS de Eduardo Nazarian, Joaquim Castro e Mariana Aydar. Produção:
Deborah Osborn, Felipe Briso e Gilberto Topczewski por BigBonsai

OLHO NU de Joel Pizzini. Produção: André Saddy e Paloma Rocha por Canal Brasil

TIM LOPES – HISTÓRIA DE ARCANJO de Guilherme Azevedo. Produção: Emilio Gallo
por Filmi di Luzzi e Guilherme Azevedo por Avexi Filmes

MELHOR DIREÇÃO


CAROLINA JABOR por Boa sorte

FERNANDO COIMBRA por O lobo atrás da porta

JOÃO JARDIM por Getúlio

KARIM AÏNOUZ por Praia do futuro

DANIEL RIBEIRO por Hoje eu quero voltar sozinho
MELHOR ATRIZ


BIANCA COMPARATO COMO IRMÃ DULCE (FASE 1) por Irmã Dulce

DEBORAH SECCO COMO JUDITE por Boa sorte

DRICA MORAES COMO ALZIRA VARGAS por Getúlio

FABIULA NASCIMENTO COMO SYLVIA por O lobo atrás da porta

LEANDRA LEAL COMO ROSA por O lobo atrás da porta

MELHOR ATOR

4

ALEXANDRE BORGES COMO CARLOS LACERDA por Getúlio

BABU SANTANA COMO TIM MAIA por Tim Maia 2º fase

MATHEUS NACHTERGAELE COMO JOÃOSINHO TRINTA por Trinta

MILHEM CORTAZ COMO BERNARDO por O lobo atrás da porta

TONY RAMOS COMO GETÚLIO VARGAS por Getúlio

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE


ALICE BRAGA COMO JÚLIA por Os amigos

FABÍULA NASCIMENTO COMO LYGIA por Não pare na pista: a melhor história de Paulo
Coelho

GLORIA PIRES COMO MÃE DE DULCE por Irmã Dulce

THALITA CARAUTA COMO BETTY por O lobo atrás da porta

ZEZÉ POLESSA COMO DULCINHA 2 por Irmã Dulce

MELHOR ATOR COADJUVANTE


ADRIANO GARIB COMO GENERAL ZENÓBIO DA COSTA por Getúlio

ANTÔNIO FAGUNDES COMO DELEGADO VALADARES por Alemão

BABU SANTANA COMO CAOLHA por Julio sumiu

CAUÃ REYMOND COMO FÁBIO por Tim Maia

CAUÃ REYMOND COMO PL AYBOY por Alemão

JESUÍTA BARBOSA COMO AYRTON por Praia do futuro

JOSÉ WILKER COMO DR. FAUSTO por Isolados

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA


ADRIANO GOLDMAN por Trash – a esperança vem do lixo

ALI OLCAY GÖZKAYA por Praia do Futuro

GUSTAVO HADBA por Irmã Dulce

LULA CARVALHO por O lobo atrás da porta

WALTER CARVALHO por Getúlio

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE


CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por Tim Maia

DANIEL FLAKSMAN por Irmã Dulce

DANIEL FLAKSMAN por Trinta

TIAGO MARQUES por Getúlio

TIAGO MARQUES por O lobo atrás da porta

MELHOR FIGURINO


CAMILA SOARES por Praia do futuro

CRIS KANGUSSU por Irmã Dulce

KIKA LOPES por Trinta