As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O cinema nacional está sumindo

Luiz Zanin Oricchio

02 de dezembro de 2006 | 10h59

O público do cinema brasileiro diminuiu 12% em relação ao ano passado e 44% em relação a 2004. Há uma preocupante tendência de queda. Enquanto festejamos o aumento da produção (cerca de 50 longas ao ano) e mesmo a qualidade dos filmes, temos de nos preocupar com esse flanco aberto – o fracasso médio nas bilheterias. Por mais que medidas defensivas como a cota de tela sejam necessárias, é preciso talvez pensar em estratégias alternativas para melhorar o público do filme nacional. Que tal investir em circuitos populares, com preços acessíveis para os mais pobres? Afinal, há muito o cinema se elitizou, foi para os shoppings, virou passatempo caro, só disponível da classe média para cima. O povão, que sempre foi o aliado histórico do cinema nacional, ficou alijado desse processo. Quando vê filmes, o faz pela televisão aberta, que ainda é de graça. Ou quase. Temos de jogar no ataque e não apenas na defesa. Leia aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.